Vatican News
14 etíopes sobreviveram à travessia em caminhão do Malawi a Moçambique 14 etíopes sobreviveram à travessia em caminhão do Malawi a Moçambique  (ANSA)

Moçambique. Bispo de Tete chocado com morte de 64 migrantes etíopes por asfixia

Na madrugada desta terca-feira (24), um camião-contentor foi interpelado pelas autoridades migratórias, na província de Tete, centro de Moçambique, o qual transportava 78 pessoas, das quais 64 sem vida e 14 em vida. Supõe-se que os 64 tenham morrido por asfixia, pois se encontravam dentro de uma caixa-metálica, sem qualquer respiração.

Hermínio José – Maputo, Moçambique

Os restos mortais dos 64 imigrantes descobertos no camião-contentor, em Moatize, província de Tete, foram nesta quarta-feira (25) a enterrar, num cemitério da Cidade de Tete. As 64 vítimas, mais os 14 sobreviventes, viajavam do Malawi para a cidade de Tete, em condições desumanas, dentro de uma caixa-metálica, sem ventilação nenhuma.

Entretanto, a reportagem do Vatican News em Moçambique, contactou por telefone o Bispo da Diocese de Tete, D. Diamantino Guapo Antunes, para quem este fenómeno é triste, pois foram mortes desumanas de jovens que ainda tinham muito que dar.

Segundo o Bispo D. Diamantino Antunes a Igreja Católica, em coordenação com a Comissão Episcopal para os Migrantes, Deslocados e Refugiados, CEMIRDE, está a acompanhar o caso, procurando dar ajuda aos sobreviventes.

De referir que os corpos  dos 64 etíopes enterrados numa vala comum foram enumerados e colocados uma etiqueta de identificação. Segundo os serviços de migração de Tete, o processo subsequente será em coordenação com a diplomacia Etíope em Moçambique.

26 março 2020, 14:02