Vatican News

Vulcão Taal leva medo às Filipinas

Autoridades filipinas mantêm o alerta para uma possível grande explosão do Vulcão Taal, que expeliu lava durante toda a noite, junto com nuvens de fumaça e cinzas que cobriram extensas áreas e obrigaram a evacuação de 30 mil pessoas. Durante as últimas 24 horas de erupção constante, o vulcão expeliu lava a uma altura de 500 metros e colunas de fumaça que chegaram a 2 km, indicou o Instituto de Vulcanologia e Sismologia das Filipinas.

Cidade do Vaticano

Enquanto Manila e muitas províncias adjacentes se preparam para a erupção do segundo vulcão mais ativo das Filipinas, os fiéis católicos de Taal, perto de Manila, intensificam as orações pela segurança das populações em risco. Uma enorme nuvem de cinzas saiu na manhã de segunda-feira da cratera central do vulcão, que fica a 60 quilômetros ao sul da capital  Manila, obscurecendo o céu. "Rezamos pela segurança das pessoas que vivem em áreas próximas ao vulcão Taal", disse Dom Pablo Virgilio S. David, bispo de Caloocan e vice-presidente da Conferência Episcopal das Filipinas.

Ouça e compartilhe

Abalos foram sentidos na ilha do vulcão e nos povoados ao redor da cidade vizinha de Agoncillo, na província de Batangas, onde ruídos estrondosos do vulcão criavam medo entre os moradores.

Dezenas de milhares de pessoas foram evacuadas de suas residências e comunidades. O governo determinou o fechamento de escolas e escritórios públicos no dia 13 de janeiro. As autoridades também emitiram um alerta público para a região central de Luzon, que comprende sete províncias: Aurora, Bataan, Bulacan, Nueva Ecija, Pampanga, Tarlac e Zambales, na ilha central de Luzon. O alarme também se aplica à região de Calabarzon, que inclui cinco províncias: Cavite, Laguna, Batangas, Rizal, Quezon e Lucena, além da região de Metro Manila.

O Instituto Filipino de Vulcanologia e Sismologia  também elevou o nível de alerta para o vulcão Taal para o nível quatro (dos cinco existentes), afirmando que "uma erupção explosiva perigosa é possível em poucas horas ou dias".

O Instituto alertou que a erupção poderia causar um "tsunami vulcânico" e aconselhou as comunidades vizinhas a tomar precauções contra eventuais ondas do lago ao redor do vulcão. Cerca de 6.000 pessoas vivem na ilha e no domingo a população local foi transferida em segurança para Batanga.

Por causa dos avisos sobre o "tsunami vulcânico", o governo aconselhou as pessoas a ficarem em casa, porque após as erupções as cinzas são muito prejudiciais à saúde, contendo partículas com dióxido de carbono, dióxido de enxofre, flúor e ácido clorídrico.

O arquipélago das Filipinas está localizado no chamado "anel de fogo" do Pacífico, onde placas tectônicas colidem, causando terremotos e atividade vulcânica regular. Em janeiro de 2018, dezenas de milhares de pessoas foram evacuadas devido a uma erupção de Mont Mayon, na região central de Bicol. A última erupção do Taal remonta a 1977. A erupção mais forte que atingiu uma área densamente povoada foi a do vulcão Monte Pinatubo, em junho de 1991. (SD - Agência Fides)

14 janeiro 2020, 07:22