Busca

Vatican News
Dom Luigi Ginami com os camponeses vietnamitas Dom Luigi Ginami com os camponeses vietnamitas 

Vietnã: os rostos de esperança da Fundação Santina

Em viagem pelos vilarejos do Vietnã do Norte para entender o valor de uma estrada e de um teto. Em junho, a Fundação presidida por Dom Ginami inaugurou um aqueduto

Cidade do Vaticano

A Fundação Santina (ONG, sem fins lucrativos) realizou um nova obra de solidariedade no Vietnã do Norte. Trata-se de um aqueduto alimentado por uma bomba de água em um vilarejo na paróquia de Dong Gianh, no distrito montanhoso de Lac Thuy da província de Hoa Binh. “Uma obra de fé, explica o presidente da Fundação Dom Luigi Ginami, que testemunha a aproximação a um povo sofredor e que ajuda a entender o mistério de um Deus misericordioso muitas vezes dissimulado em lugares escondidos”.

Ouça e compartilhe!

A Fundação Santina no Vietnã

“Vivi dez dias como um vietnamita, dormindo 5 noites no chão e as outras sobre uma tábua de madeira que aqui substitui a cama, comi com os pauzinhos, usei as latrinas locais, respirei o pó e a miséria de um calor úmido infernal. Passados estes dias, com infinito cansaço escrevo sentado em um confortável sofá no aeroporto as recordações do encontro com o vilarejo Ke Nhao e seus infindáveis arrozais nas encostas das colinas formando grandes “terraços”, um panorama belíssimo”.

Os arrozais

“Esta reflexão", conta Dom Luigi em uma entrevista à Rádio Vaticano, "recorda os arrozais cheios de calor e de suor, cheios de crianças, jovens adultos e idosos, dos arrozais cheios de trabalho mas que para mim são um exemplo de grande humanidade. Primeiramente o que sufoca é o calor que sobe das águas estagnadas. Sob um calor de quarenta graus a água fica quente e produz calor, como se fosse uma sauna”. “As roupas ficam molhadas e qualquer esforço feito é o dobro de energia de um esforço em condições normais. Eles passam os dias inteiros nestas condições com as costas curvadas das sete da manhã às sete da noite: não sabem ler nem escrever, em seus rostos cansados vê-se a fadiga, a fadiga física de um trabalho que desgasta. É uma fadiga verdadeira e autêntica que não conhecemos, que desgasta o corpo, podemos chamá-la mesmo de desumana!

Uma ponte sobre o rio Mekong

Em 2018 a Fundação Santina inaugurou uma pequena ponte sobre o delta do rio Mekong, para ligar um vilarejo isolado à Igreja e às estradas estatais. “Uma ponte, explica Dom Luigi Ginami, financiada com 15 mil dólares por uma família italiana de benfeitores de Bérgamo. É a segunda obra de solidariedade realizada pela Fundação Santina no Vietnã. A primeira foi a reestruturação de um orfanato no Vietnã do Norte, em Xuy Xa, em setembro de 2016.

 

18 julho 2019, 13:26