Cerca

Vatican News
É conhecido como o festival de produção mais antigo da Itália É conhecido como o festival de produção mais antigo da Itália 

Festival de teatro com inspiração cristã começa nesta quinta, na Itália

O 73° Festival do Teatro do Espírito começa oficialmente nesta quinta-feira (18) em San Miniato, região da Toscana: conhecida como a cidade do teatro, mas sem haver um teatro. O encontro, porém, é nacionalmente conhecido pela sua tradição e, neste ano, celebra Leonardo da Vinci, uma figura “necessária” nos dias de hoje para “inverter a rota da sociedade ocidental”, afirma o bispo local, Dom Andrea Migliavacca.

Andressa Collet – Cidade do Vaticano

Ouça a reportagem

“Precisaríamos de um novo Leonardo da Vinci”, afirmou Dom Andrea Migliavacca, bispo de San Miniato, uma pequena cidade de cerca de 25 mil habitantes da Província de Pisa, região italiana da Toscana. No início de junho, o prelado participou do lançamento da edição de n. 73 do Festival do Teatro do Espírito que começa, oficialmente, nesta quinta-feira (18), com o espetáculo inspirado na representação da “Última ceia”.

O evento de caráter nacional e de inspiração cristã, conhecido como o festival de produção mais antigo da Itália, é promovido pela Fundação Instituto Drama Popular que, desta vez, celebra a memória de Leonardo da Vinci, 500 anos após a sua morte. De fato, em 2 de maio de 2019 o mundo lembrou do quinto centenário da morte do gênio renascentista.

Dom Andrea comentou na oportunidade que “a sociedade ocidental está claramente em declínio, não é capaz de criar a integração, mas, ao contrário, tem sempre mais evidentes hábitos racistas, ergue os muros e não sabe cooperar com a unidade da Europa que está sob o fogo de egoísmos e nacionalismos. Precisaríamos de um novo Leonardo para inverter a rota”.

“Uma sociedade como esta, em declínio”, continuou Dom Andrea, “precisa de figuras como aquela de Leonardo que soube olhar o futuro. Hoje serve alguém que tenha a mesma determinação e a mesma coragem de olhar à frente para conseguir interpretar impulsos de inovação absolutamente necessários hoje”. O bispo comentou ainda que a Fundação promotora do evento celebra um aniversário sabendo, porém, identificar os dias de hoje e “criando um valor adjunto de significado extraordinário e não somente cultural”.

(Ansa)

16 julho 2019, 12:44