Busca

Vatican News
Meninas burquinenses na escola Meninas burquinenses na escola  (AFP or licensors)

Campanha do Unicef contra casamentos precoces

Em Burkina Fasso, está previsto um aumento de 100% de meninas esposas até 2050. O país africano ocupa o quinto lugar no ranking mundial de casamentos na adolescência.

Cidade do Vaticano

“Não me chame de senhora” é o nome da campanha promovida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) contra os casamentos precoces, em Burkina Fasso, onde cerca de 50% das meninas são obrigadas a se casar antes de atingirem a maioridade e uma a cada dez antes dos quinze anos.

O país africano, onde está previsto um aumento de 100% de meninas esposas até 2050, ocupa o quinto lugar no ranking mundial de casamentos na adolescência. Nessa classificação, liderada pelo Níger, nove dos dez primeiros países estão na África.

Ouça a reportagem

Segundo o Unicef, quando um adolescente se casa cedo, as perspectivas de uma vida saudável e bem-sucedida declinam drasticamente, muitas vezes iniciando um ciclo de pobreza que perdurará por gerações.

As jovens mulheres, prometidas em casamento já no momento do nascimento devido a acordos entre as famílias, são de fato tiradas da escola. Muitas vezes se tornam vítimas de violência doméstica ou correm o risco de morrer de complicações devido à gravidez e partos em idade precoce.

Os filhos dessas jovens mulheres correm o risco de morrer ao nascer ou imediatamente depois. Portanto, é essencial investir na emancipação das meninas, fazendo com que frequentem a escola o maior tempo possível. Segundo o Unicef, é necessário também que as comunidades mudem de atitudes.

09 julho 2019, 18:51