Cerca

Vatican News
Procissão do Domingo de Ramos em Beira, Moçambique Procissão do Domingo de Ramos em Beira, Moçambique  (AFP or licensors)

Moçambique: com a Páscoa a vida voltará a triunfar

“Durante a Via-Sacra cada estação será contextualizada naquilo que vivemos aqui em Beira. As quedas de Jesus serão as quedas das nossas casas”, palavras de Dom Claudio Dalla Zuanna, Bispo de Beira em Moçambique

Cidade do Vaticano - Camillo Barone e Jane Nogara

“Já passou mais de um mês daquela trágica noite entre 14 e 15 de março na qual o ciclone Idai  semeou lutos e destruições nas terras da Beira e do centro de Moçambique”, são palavras de Dom Claudio Dalla Zuanna, bispo de Beira, uma das cidades mais atingidas pela tragédia. O Bispo explica que embora aparentemente a cidade tenha voltado ao normal, “ainda há muitas casas sem telhados e nas periferias nada mudou e a distribuição de alimentos ainda é muito difícil”.

Páscoa em Beira

“Como cristãos vivemos esta Páscoa de uma forma que diria mais viva, mais intensa, porque participamos a nossa experiência, a experiência de Cristo no mistério pascal”. Na celebração da Eucaristia da Quinta-feira Santa durante a cerimônia do lava-pés na Catedral, foram lavados os pés de 12 pais de família que perderam suas casas.

Sexta-feira Santa

Na Sexta-feira Santa, continua o bispo, “durante a Via-Sacra cada estação será contextualizada naquilo que estamos vivendo ou já vivemos neste último mês aqui em Beira. As quedas de Jesus serão as quedas das nossas casas, a dificuldade de alimentar a nossa esperança, a queda das nossas igrejas”. “O despojamento de Jesus será o despojamento do povo e a falta de respeito pela dignidade que também em situações como estas aparecem”.

Ouça Dom Claudio Dalla Zuanna

Vigília Pascal

“Mas será sobretudo na Vigília Pascal, na celebração da ressurreição de Cristo, quando celebraremos batismos e matrimônios que a vida voltará a triunfar e a Páscoa será então a palavra de esperança, a palavra que merece a confiança de que a vida é mais forte do que a morte”. “Então também a cidade de Beira poderá renascer e ser até mais bonita do que era antes do ciclone”, conclui Dom Cláudio.

19 abril 2019, 11:43