Cerca

Vatican News
Francisco Ribeiro Telles, Secretário Executivo da CPLP Francisco Ribeiro Telles, Secretário Executivo da CPLP 

Papa tem “postura corajosa “em relação ao abuso de menores

Secretário Executivo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa foi recebido pelo Núncio Apostólico em Portugal

Domingos Pinto – Lisboa

“É uma postura corajosa, é uma postura frontal, e a igreja só tem a beneficiar com esta atitude do Papa Francisco”.

É desta forma que o embaixador Francisco Ribeiro Telles, Secretário Executivo da CPLP destaca em entrevista exclusiva à VATICAN NEWS a forma como o papa tem tratado as situações relacionadas com o abuso de menores no seio da igreja católica.

Declarações do embaixador Francisco Ribeiro Telles à margem do encontro que teve no passado dia de 7 de março com o Núncio Apostólico em Portugal, D. Rino Passigato.

“Foi uma visita de cortesia. Pedi para falar com o Senhor Núncio Apostólico na qualidade de Decano do Corpo Diplomático, apresentar-lhe cumprimentos e também explicar um pouco o que é a CPLP, os objetivos que neste momento tem a CPLP, os projetos que estão em carteira, digamos assim”, diz o SE da organização lusófona.

Francisco Ribeiro Telles, que tem um percurso de 16 anos como embaixador em países da CPLP, relembra, por exemplo, a sua experiência diplomática em Cabo Verde e Angola, onde testemunhou “no terreno, a importantíssima missão da igreja católica no apoio às populações na prossecução de projetos sociais”.

“Um contributo enorme que a igreja católica dá para o bem-estar das populações”, sublinha o diplomata, que admite a possibilidade de a Universidade Católica Portuguesa poder ter o estatuto de Observador Consultivo da CPLP, “uma questão em aberto”.

Nesta entrevista ao portal da Santa Sé, o Secretário Executivo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa destaca ainda o Pontificado do Papa Francisco.

“Senti uma enorme expetativa, uma enorme esperança, um enorme otimismo em relação àquele que é o Pontificado de Francisco, e pude constatar inúmeras vezes a enorme popularidade, simpatia e empatia que o Papa Francisco transmite às pessoas”, sublinha ainda o diplomata, que foi embaixador de Portugal em Itália entre 2016 e 2018.

Ouça a reportagem
09 março 2019, 15:56