Versão Beta

Cerca

Vatican News
INDONESIA-QUAKE Vilarejo de Petobo perto de Palu atingido pelo terremoto  (AFP or licensors)

Bispos italianos doam 1 milhão de euros para as vítimas do terremoto na Indonésia

Os Bispos da Conferência Episcopal Italiana doaram 1 milhão de euros para as vítimas do terremoto e do tsunami que atingiu a Indonésia. A contribuição foi feita através da Cáritas italiana e coordenada pelas Cáritas locais e dioceses indonésias. Médicos Sem Fronteiras chegaram às regiões mais remotas para distribuir água potável

Cidade do Vaticano

“A presidência da Conferência Episcopal italiana fez uma doação de 1 milhão de euros para ajudar as vítimas do terremoto e do tsunami que atingiram recentemente a Indonésia. A contribuição foi feita através da Cáritas italiana e contará com a ajuda da Cáritas indonésia e dioceses locais para a distribuição.

Terremoto e tsunami

Em 28 de setembro passado, recorda a nota da Conferência, um terremoto de 7.5 da escala Rictcher atingiu a província de Sulawesi central. Logo depois um tsunami com ondas de até 6 metros de altura abateu-se sobre o litoral de Palu e Donggala, que tinham também sido atingidos pelo terremoto. No balanço inicial, nos primeiros dias de outubro, as vítimas eram 1.407, às quais se acrescentam 799 feridos e 99 desaparecidos. No dia 3 de outubro, o vulcão do Monte Soputan, na ilha de Sulawesi, entrou em erupção, obrigando as autoridades do país asiático a elevarem o alerta na região para o nível 3 de uma escala de 4.

Segundo o último balanço divulgado foram 2.073 mortes, na maioria na cidade de Palu e estima-se que cerca de 5 mil habitantes continuem desaparecidos, muitos deles nos escombros de casas e prédios destruídos.

Quase 80 mil pessoas perderam suas casas e estão em abrigos improvisados e cerca de 200 mil precisam de ajuda humanitária urgente. Comida e água potável estão em falta e muitas vítimas perderam tudo.

A assistência coordenada Katina/Cáritas Indonésia e dioceses locais

O centro de gestão para a distribuição dos bens materiais e a reconstrução e reabilitação encontram-se na paróquia de Santa Maria em Palu. Todas as organizações caritativas da Cáritas e outras realidades das Igrejas locais estão em contato com o governo local e com os agentes humanitários presentes in loco. Uma das maiores preocupações é chegar a todas as regiões atingidas e administrar as ajudas disponíveis em base às necessidades.

Médicos Sem Fronteiras chega nas áreas mais remotas

A equipe indonésia de Médicos Sem Fronteiras (MSF), formada por médicos, e especialistas em logística e saúde, está trabalhando nas regiões mais remotas da ilha de Sulawesi em colaboração com o Ministério da Saúde local.  A equipe de MSF consegiu chegar nas áreas atingidas no distrito de South Dolo, Sigi, e mais ao norte, no litoral ocidental do distrito de Donggala, que abriga mais de 50.000 pessoas. Com a ajuda de locais está prestando assistência médica aos necessitados. O Dr. Rangi Wirantika, um dos médicos em campo diz que “ainda hoje recebemos pacientes com fraturas causadas pelo terremoto. Trabalhamos junto com a Agência de Saúde local em uma clínica móvel que se desloca para chegar aos pacientes.

O problema da água potável

“As comunidades atingidas têm acesso limitado à água potável, fundamental para reduzir o risco de possível epidemia. Em algumas regiões, as pessoas devem caminhar até dois quilômetros para conseguir água potável”; explica Timothius SP Benu, especialista em saneamento. Um dos principais objetivos será o de garantir que a população tenha acesso à água potável, reparando ou reconstruindo as fontes existentes (por exemplo bombas manuais e poços) ou instalando soluções temporárias como reservatórios de água e sistemas de tratamento de água.

Ouça e compartilhe
15 outubro 2018, 11:28