Versão Beta

Cerca

Vatican News

Pacaraima: indignação e solidariedade da REPAM e Caritas

Depois dos episódios de violência ocorridos em 18 de agosto em Pacaraima, Roraima, os participantes do III Encontro da Igreja Católica da Amazônia Legal, em Manaus, e a Caritas Nacional ergeum sua voz.

Cristiane Murray – Manaus

Diante dos violentos atos ocorridos no dia 18 de agosto em Pacaraima, Roraima, os 58 bispos e 27 demais representantes de Prelazias e Dioceses reunidos em Manaus (AM) de 20 a 23 de agosto no III Encontro da Igreja Católica da Amazônia Legal, expressam sua solidariedade com as famílias expulsas do Brasil e solidarizam com as pessoas, instituições e comunidades católicas que acolhem e protegem irmãos e irmãs migrantes.

Comissão Episcopal para a Amazônia

"Expressamos nossa solidariedade com as famílias que sofreram a violenta expulsão do Brasil e nos edificamos com as pessoas, instituições e comunidades católicas que acolhem e protegem nossos irmãos e irmãs migrantes. Reconhecemos que a situação é crítica, principalmente pela ausência de uma ação integrada e eficaz das esferas municipais, estadual e federal do Estado Brasileiro, que assegure a acolhida humanitária aos refugiados. Insistimos que o governo da Venezuela supere as causas geradoras desse deslocamento forçado".

"Lembramos que os refugiados pertencem a povos da Amazônia e merecem respeito à sua dignidade e aos Direitos Humanos. Dizemos BASTA ao ódio e SIM à acolhida fraterna".

“ Que a Virgem de Nazaré, Rainha da Amazônia, interceda pelos povos da Amazônia para que o Espírito de Deus nos indique os caminhos de vivermos como irmãs e irmãos ”

A nota é assinada pelo Cardeal Dom Cláudio Hummes, Presidente da Comissão Episcopal para Amazônia da CNBB e da Rede Eclesial Pan-Amazônica.

Caritas

Também a Cáritas Brasileira, organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) que atua na defesa e garantia dos direitos das populações em situação de vulnerabilidade social, se manifestou diante dos graves acontecimentos de violência e xenofobia contra os venezuelanos especialmente, neste momento, com migrantes e refugiados que se encontram em situação de migração em Roraima (RR).

“ A ocorrência do assalto ao comerciante de Pacaraima e a responsabilidade pelos atos, imputada aos migrantes venezuelanos, não justificam as ações que espalharam terror aos homens, mulheres, crianças e idosos que buscam um lugar para recomeçar suas vidas com dignidade ”

"Essa situação aumenta o estado de tensão já instalado no território mesmo antes das migrações externas oriundas da Venezuela e de outros países. Isso decorre da ausência do poder público local e estadual, da frágil e burocrática proposta do Governo Federal para a interiorização e o cenário político-eleitoreiro que alimentam o ódio expressado nas ações violentas cometidas por parte da população.

A Cáritas Brasileira e o conjunto da Igreja têm se empenhado em dar uma resposta solidária, com ações emergenciais de médios e longos prazos, buscando a acolhida e a integração desses irmãos e irmãs.

 

Migrar é um direito universal inviolável. Entretanto, a migração forçada tem provocado muitas dores e sofrimentos às pessoas. Crises, como a da Venezuela, podem acontecer em qualquer parte do mundo, principalmente, no contexto atual, em que o capital financeiro e os interesses geopolíticos prevalecem sobre a vida humana. Neste contexto, as pastorais, os organismos e as comunidades cristãs são chamadas pelo papa Francisco a exercer o profetismo, denunciando as injustiças e se colocando ao lado das pessoas que sofrem o drama da fome, da perseguição e da falta de condições mínimas para viver".

Apelo aos poderes públicos

Assim sendo, a Cáritas Brasileira apela aos poderes municipais, estadual e federal para que assumam a responsabilidade de garantir a proteção e a integridade física das pessoas que se encontram vulneráveis nas ruas de Pacaraima e de outras cidades da fronteira. A sociedade brasileira também é convocada a perceber a dura realidade vivida pelos migrantes e a contribuir na acolhida e integração dessas pessoas.

 

23 agosto 2018, 15:32