Versão Beta

Cerca

Vatican News
Bambini rifugiati Crianças refugiadas 

Um milhão de refugiados voltam à Síria

O governo russo está ajudando a Síria a reconstruir infraestruturas para poder acolher os refugiados que farão regresso a casa. Já estão prontas algumas áreas seguras e a situação melhorou nos últimos meses

Cidade do Vaticano

Damasco está colaborando com Moscou para melhorar a situação do território sírio: está sendo feita a reconstrução das infraestruturas para poder acolher os refugiados que estão voltando para a Síria. “Mais de um milhão de pessoas – afirmou o ministro russo da Defesa Sergei Shoigu – já voltaram para casa. Nestas últimas semanas ficamos sabendo que cerca de um milhão de refugiados ainda devem voltar”.

O êxodo dos desesperados

O conflito ensangueta a Síria há sete anos. Há sete anos, milhares de pessoas foram obrigadas a abandonar o país. Procuraram abrigo no exterior, em países vizinhos como o Líbano, Turquia e Jordânia, outros foram para a Europa e América do Norte. O grande êxodo, que já atingiu milhões de pessoas, é uma das mais graves consequências da guerra síria. Todavia, nos últimos meses a situação melhorou favorecendo o regresso à pátria de uma parte dos refugiados.

As garantias do ministro russo

O ministro russo recorda que já está sendo feita a reconstrução de importantes infraestruturas, entre as quais as grandes artérias de comunicação interrompidas por causa da guerra. Também, já estão completadas as chamadas áreas seguras, prontas para receber novos refugiados. As ajudas de Moscou estão se revelando essenciais para o futuro da população, ajudas que não se referem só a reconstrução, mas também a fornecimentos militares: os russo são aliados chave, junto com Teerã, do governo de Damasco, a sua intervenção militar contra os grupos de jihadistas e milícias extremistas revelou-se essencial para a vitória militar do exército sírio, fiel ao presidente Bashar al-Assad.

Rumo à estabilização do país

Por enquanto resta nas mãos dos rebeldes e dos grupos fundamentalistas islâmicos apenas a província de Idlib. O ministro russo recorda que a situação está mais calma e que o país poderia se encaminhar para uma lenta, mas progressiva estabilização. No entanto continuam as negociações de paz.

Dia 7 de setembro será realizado um Encontro internacional promovido pelas Nações Unidas. Os trabalhos serão coordenados pelo enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, que pretende reunir expoentes das potências ocidentais e dos governos da região do Oriente Médio. Os objetivos da cúpula serão o fortalecimento do processo político e o nascimento de uma espécie de comitê constituinte que permita alcançar um acordo antes do final do mês.

Ouça e compartilhe
30 agosto 2018, 10:11