Cerca

Vatican News
Irmã Mary Prema MC Superiora das Irmãs da Caridade Irmã Mary Prema MC Superiora das Irmãs da Caridade 

Missionárias da Caridade desmentem venda de crianças

Irmã Maria Prema MC, Superiora Geral das Irmãs da Caridade, fez uma declaração sobre a falsa denúncia do envolvimento das irmãs da caridade na venda de uma criança.

Padre Arnaldo Rodrigues - Cidade do Vaticano

No dia de ontem, 18 de julho, alguns meios de comunicação deram a noticia sobre a ordem do governo indiano de investigar todas as casas da Congregação das Irmãs Missionarias da Caridade, conhecidas como as irmãs da caridade de Madre Teresa de Calcutá. A denuncia seria de que as irmãs estariam envolvidas num suposto caso de venda de bebês. A "venda" de um recém-nascido por um empregado das freiras de Madre Teresa em Ranchi (Jharkhand) levou em poucos dias a prisão de uma freira e um inquérito a todas as casas onde as Missionárias da Caridade cuidam de crianças.

A ministra indiana de Desenvolvimento Feminino e Infantil, Maneka Gandhi, determinou que na ultima segunda-feira, 16 de julho, que todos os governos estatais inspecionassem todos os centros do país.

Irmã Mary Prema, Superiora das irmãs de Madre Teresa, falou a agência de notícias Asia News sobre estas acusações e afirmou: “O desaparecimento de uma criança vendida não tem nada a ver com a congregação das Missionárias da Caridade. Sobre as freiras se acumulam "mitos generalizados, informações distorcidas e notícias falsas, juntamente com alusões infundadas".

Leia na integra a nota oficial das Irmãs da Caridade:

“Estamos profundamente doloridas e tristes com os recentes acontecimentos na casa das Missionárias da Caridade, a Nirmal Hriday na East Jail Road, em Ranchi. Embora expressemos nossa plena confiança no processo judicial em andamento, desejamos expressar nosso choro e o nosso descontentamento pelo que aconteceu e queremos expressar nossa condenação por ações individuais que nada têm a ver com a congregação das Missionárias da Caridade.

Estamos cooperando totalmente com os investigadores e estamos abertos a qualquer investigação livre, equilibrada e justa. Neste contexto, especialmente tendo em conta os muitos mitos generalizados, informações distorcidas e notícias falsas que se espalham, juntamente com alusões infundadas que são lançadas sobre as irmãs de Madre Teresa, é importante estabelecer a série de eventos como eles realmente aconteceram.

Irmã Concelia MC, foi nomeada como chefe da seção "mães solteiras" em Nirmal Hriday, East Jail Road, Ranchi, em 6 de junho de 2017. Ela era responsável pela admissão, atendimento hospitalar, aconselhamento, registro, apoio de mães e recém-nascidos na CWC (Child Welfare Committee - Comitê de Assistência à Criança), quando necessário, e quando as mães solteiras recebiam alta da casa.

A Sra. Anima Indwar começou a trabalhar na Nirmal Hriday em janeiro de 2012. Ela inicialmente trabalhou em uma seção de ajuda e depois como membro da equipe para cuidar das mães solteiras. Ele aprendeu muito bem o trabalho e ajudou a Irmã Concelia de maneira competente. Desta forma, a Sra. Anima Indwar pôde desfrutar da confiança das freiras de Nirmal Hriday. Assim, quando Irmã Concelia precisava assumir uma responsabilidade urgente, a Sra. Anima Indwar acompanhava sozinha as mães solteiras, seus filhos e seus cuidadores ao Hospital Sadar, ao RIMS (Rajendra Institute of Medical Sciences - Instituto de Ciências Médicas Rajendra), ao escritório da CWC, conforme necessário.

Em 29 de junho de 2018, por volta das 12h30, um representante da Proteção Infantil, Sra. Seema e outros membros da Previdência Social, cerca de cinco deles, chegaram a Nirmal Hriday. Eles solicitaram registros de admissão e residência contendo informações sobre todos os hóspedes da casa. Eles apreenderam os registros de Nirmal Hriday sem dar nenhum recibo para essa apreensão.

Entre todos os registros realizadas para "mães solteiras", os representantes acima mencionados fizeram perguntas especificamente sobre a Sra. Karishma Toppo e seu filho. A Sra. Karishma Toppo foi admitida em Nirmal Hriday em 19 de março de 2018 e deu à luz seu bebê em 1 de maio de 2018. Após o parto, a Sra. Karishma Toppo declarou que entregaria seu filho para a CWC. Assim, a Sra. Anima Indwar, a Sra. Karishma Toppo e sua cuidadora levaram o bebê de Nirmal Hriday para entregá-lo. Nem o Nirmal Hriday nem as freiras podiam de qualquer maneira garantir que a criança fosse realmente entregue à CWC. E isso também porque a CWC normalmente não dão nenhum atestado à casa, depois de ter obtido a guarda de uma criança, filho de mãe solteira.

Em 3 de julho de 2018, interrogada pela CWC, Anima Indwar admitiu que o bebê de Karishma Toppo não foi entregue à CWC. Após essa admissão, o CWC a entregou à polícia. No mesmo dia, o bebê de Karishma Toppo foi entregue ao CWC pelas senhoras Anima Indwar e Karishma Toppo.

Em 4 de julho de 2018, a irmã Concelia e a irmã Marie Deanne, superior de Nirmal Hriday, foram interrogadas pela polícia. A irmã Concelia foi presa, enquanto a irmã Marie Deanne, depois de ser mantida até as 19 horas do dia seguinte, foi libertada.

Na noite de 4 de julho de 2018, sem qualquer notificação, a CWC e a representante do Gabinete para a Proteção das Crianças, Sra. Seema, levaram consigo 11 mães solteiras, uma mãe solteira com o filho e um cuidador da casa. Essas mulheres foram submetidas a profunda humilhação e vergonha pública, tendo sido arrastadas para fora diante de muitos meios de comunicação.
Por razões desconhecidas, em 6 de julho de 2018, nossa casa Shishu Bhawan em Hinoo sofreu um ataque da polícia e da CWC. As 22 crianças da casa foram levadas pela CWC, incluindo uma criança de um mês de idade. Durante a custódia na CWC, uma dessas crianças ficou gravemente doente e internada em tratamento intensivo no Hospital Rani. Até mesmo os registros desta casa foram levados pelos representantes oficiais sem dar à casa qualquer recibo da apreensão.

É doloroso que a CWC tenha reservado tal tratamento à uma casa que há apenas duas semanas, seus próprios representantes a definiram como tendo "um excelente ambiente para cuidar das crianças".

Seguindo os passos de nossa fundadora, Santa Madre Teresa, as Missionárias da Caridade cuidam dos pobres, dos abandonados e dos aflitos desde 1950. Até o momento existem 5167 irmãs ativas e contemplativas com 760 casas em 139 países. Na Índia, as Missionárias da Caridade têm 244 casas, incluindo no Jharkhand. Nosso trabalho inclui oferecer casas para pessoas que sofrem de lepra, tuberculose, AIDS, crianças e adultos com deficiências físicas e mentais, dormitórios, dispensários para primeiros cuidados médicos, lares para mulheres carentes, meninas em perigo, mulheres grávidas abandonadas, mulheres cuja pobreza e fome as levaram para a estrada.

A Congregação das Missionárias da Caridade se compromete a continuar com seu serviço aos mais pobres dos pobres, de coração e sem ônus, servindo aos necessitados e vulneráveis, mesmo entre as críticas infundadas e sem precedentes que enfrentamos hoje. Temos total confiança na lei e nos tribunais, nas investigações das autoridades e acreditamos que a justiça prevalecerá.

Rezamos por todos os que foram afetados pelos acontecimentos recentes e pedimos a Deus para abençoar todos aqueles que estão próximos a nós nestes momentos dolorosos e difíceis, confiando nossas orações a Deus para todas as pessoas de boa vontade.

Nossa Mãe, Santa Teresa de Calcutá, interceda por nós diante do Pai onipotente".

Irmã Mary Prema MC
Superiora Geral
 

18 julho 2018, 11:42