Versão Beta

Cerca

Vatican News
Rodovia nas proximidades de Atenas Rodovia nas proximidades de Atenas  (AFP or licensors)

Arcebispo de Atenas: responsabilidades humanas nos incêndios

Dom Sebastianos Rossolatos, arcebispo de Atenas, não exclui que o fogo seja doloso e nesta entrevista, fala da responsabilidade humana e do Estado.

Cidade do Vaticano

Há 24 horas do início do devastador incêndio nas duas grandes florestas que circundam a capital grega, contam-se mais de 70 mortos e 550 feridos, dentre os quais muitas crianças. Dom Sebastianos Rossolatos, arcebispo de Atenas, não exclui que o fogo seja doloso e fala de responsabilidade humana e do Estado.

Entrevistado por Luca Collodi, da Rádio Vaticano Itália, o arcebispo diz que houve dois incêndios, a leste e a oeste da capital. A Caritas Grécia está em contato com as autoridades e pronta para enviar ajudas e colaborar na remoção de detritos incendiados e liberar as estradas:

“Além da origem dolosa, vejo também responsabilidades humanas, porque as construções na Grécia, principalmente em Attica, são muitas vezes irregulares. O Estado regulamenta mas as cidades não são bem construídas e não existem vias de fuga em caso de incêndios ou enchentes. Por isso, também tivemos muitos afogados por causa das chuvas”.

Questionado sobre as causas destas calamidades, o arcebispo responde:

“Muitas vezes, são os turistas que tentam preparar comida nas montanhas e provocam incêndios. Outras, são certamente intencionais. Não sabemos o porque disso, mas sim que grupos organizados queimam os bosques para poder construir depois. E infelizmente o Estado, que declara que a área incendiada deve ser replantada, não se esforça muito em controlar, alguns anos depois, começam a reconstruir”.

A respeito das perspectivas do país, o bispo fala da realidade do tecido social:

“Na Grécia, as relações familiares são fortes e isto salvou muita gente, porque um ajuda o outro. Mas ainda não vemos uma luz, uma esperança de que cheguem ajudas, no sentido de financiar novas empresas que deem empregos às pessoas. Promete-se muito, mas ainda não vemos mudanças”.

Baixe e compartilhe

Photogallery

Ventos de 100km/h propagaram o fogo
25 julho 2018, 12:35