Versão Beta

Cerca

Vatican News
Al Gore levou o tema das mudanças climáticas ao alcance da opinião pública mundial Al Gore levou o tema das mudanças climáticas ao alcance da opinião pública mundial 

Al Gore: mundo ouça o Papa Francisco na defesa do meio ambiente

Na entrevista ao Vatican News, Al Gore se detém no compromisso do Papa Francisco na defesa do meio ambiente, na importância da Encíclica ‘Laudato si’ e lança um apelo em favor da “Revolução da sustentabilidade”.

Cidade do Vaticano

O Prêmio Nobel da Paz, Al Gore, é sem dúvida um dos líderes mais apaixonados pela proteção ambiental em nível planetário. Um compromisso contra o superaquecimento global que o ex-vice-presidente dos Estados Unidos conduziu incansavelmente nos últimos 20 anos.

Em 2007, o seu documentário ‘An Inconvenient Truth’, “Uma verdade incômoda”, venceu o Óscar, mas sobretudo levou o tema das mudanças climáticas, até então uma questão “para especialistas”, ao alcance da opinião pública mundial.

Nos últimos dias, o Prêmio Nobel da Paz conduziu um encontro, em Berlim, de sua organização Projeto de Realidade Climática (Climate Reality Project), com centenas de participantes de todo o mundo.

Nesta entrevista ao Vatican News, Al Gore se detém no compromisso do Papa Francisco na defesa do meio ambiente, na importância da Encíclica ‘Laudato si’ e lança um apelo em favor da “Revolução da sustentabilidade”.

A sua voz é uma das mais fortes do mundo em defesa do meio ambiente. Por que o senhor é tão apaixonado pela “batalha verde” em nosso Planeta?

Al Gore: “Acredito que o objetivo de nossa vida seja glorificar a Deus. Continuar acumulando desprezo e destruição contra a criação de Deus não é coerente com a maneira como devemos viver nossas vidas. Além disso, a crise climática é hoje o mais grave desafio existencial que a humanidade já enfrentou. E não apenas a humanidade está em risco: de acordo com biólogos de fama internacional, quase a metade de todas as espécies vivas com as quais partilhamos a vida nesta Terra correm o risco de se extinguir durante este século. O Senhor ordenou que Noé recolhesse em sua arca dois animais de cada espécie para ‘mantê-los vivos com ele’: acredito que esse pedido também é válido para nós.”

“Atualmente, estamos usando aquela membrana que é a atmosfera que circunda o nosso Planeta como um “lixão a céu aberto”, descarregando todos os dias 110 milhões de toneladas de poluição produzida pelo homem, que gera calor e conserva calor. Até hoje, foi acumulada tanta energia térmica em excesso como a equivalente a 400 mil bombas, como a que caiu em Hiroshima, explodindo a cada 24 horas. As consequências desta energia térmica em excesso são evidentes: tempestades fortes, chuvas violentas,  inundações destruidoras e grandes deslizamentos de terra, seca extrema e prolongada, más colheitas, escassez de água em muitas regiões, aumento de incêndios, propagação de doenças, derretimento do gelo, aumento do nível do mar junto com a acidificação dos Oceanos, e muito mais. Então, nós realmente não temos escolha. Temos que resolver a crise climática. Como o Papa Francisco disse, ‘se destruirmos a criação, a criação nos destruirá’.”

“Tive sorte porque pude investir cada gota de energia no esforço de contribuir para a solução dessa crise. Nisso, me apoiam milhões de ativistas e líderes de todo o mundo que estão direcionando o desenvolvimento da energia limpa na ‘Revolução da sustentabilidade’. A verdadeira paixão e energia vêm desses ativistas e líderes.”

O senhor disse numa entrevista recente que a mudança climática não é uma questão política, mas sim “uma questão moral e espiritual”. Que importância atribui ao fato de que um líder espiritual como o Papa Francisco esteja tão comprometido na defesa do meio ambiente?

Al Gore: “A liderança do Papa Francisco é de inspiração para todos nós, no âmbito mundial, especialmente por sua ênfase vigorosa e repetida em favor de uma solução para a crise climática. Sou grato e admirado pela clareza da força moral que encarna. O Papa Francisco também fala muito eficazmente dos mais vulneráveis entre nós, ou seja, os pobres, e ajuda aqueles que o escutam a entender como todos nós, indistintamente, somos afetados pela crise climática. Em particular, a sua Encíclica ‘Laudato si’ marcou um passo crucial para a Igreja católica no orientar o mundo a se comprometer no enfrentamento da crise climática antes do Acordo de Paris.

Nestas e em muitas outras maneiras, o Papa tem estado na vanguarda de guiar o mundo numa ação construtiva sobre o clima. Praticamente todos os meus colegas e amigos católicos estão muito “entusiasmados” pelo fato que está oferecendo essa liderança espiritual. Como eu também.

De maneira mais geral, acho que o ensino espiritual obviamente desempenha um papel crucial nas comunidades de todo o mundo. O Papa é um modelo para os líderes de outras tradições religiosas: ele os inspira a comunicar os perigos decorrentes da crise climática e o nosso dever de “administradores” da Criação para resolvê-la."

Al Gore contra superaquecimento global
04 julho 2018, 20:03