Versão Beta

Cerca

Vatican News
Cristo Redentor - Rio de Janeiro Cristo Redentor - Rio de Janeiro 

Pró-Saúde visita o Vaticano

A Pró-Saúde é uma das maiores entidades de gestão de serviços de saúde e administração hospitalar do País. Tem sob sua responsabilidade mais de 2.500 leitos e o trabalho de cerca de 16 mil profissionais.

Silvonei José - Cidade do Vaticano

A Diretoria da Pró-Saúde visitou nestes dias vários Dicastérios do Vaticano e a redção do Vatican News. Silvonei José conversou com eles sobre vários aspectos desta entidade filantrópica.

O que é a Pró-Saúde?

A Pró-Saúde é uma das maiores entidades de gestão de serviços de saúde e administração hospitalar do País. Tem sob sua responsabilidade mais de 2.500 leitos e o trabalho de cerca de 16 mil profissionais, sendo 2,9 mil médicos, contribuindo para a humanização do atendimento hospitalar, em especial do SUS. Com excelência técnica e credibilidade nacional, é uma entidade filantrópica qualificada como Organização Social de Saúde (OSS) e oferece uma gama de serviços em benefício da vida. A atuação na área de administração hospitalar tornou a entidade amplamente reconhecida no setor, permitindo que a Pró-Saúde ofereça a mesma qualidade em assessoria e consultoria, planejamento estratégico, capacitação profissional, diagnósticos hospitalares e de saúde pública, gestão de serviços de ensino e muitos outros.

A atuação da Pró-Saúde, entidade sem fins lucrativos, se alinha aos esforços da sociedade para o aperfeiçoamento dos serviços públicos de saúde. Como organização alicerçada na ética cristã e na vasta experiência católica de trabalho social, voltada aos mais diversos públicos, nas mais distintas realidades, a Pró-Saúde prima pela valorização da vida e pela defesa das condições essenciais para o desenvolvimento das pessoas.

Nos hospitais, nas unidades de saúde, nas UPAs, no Samu, nas creches, no atendimento a idosos, em todos os ambientes em que atua, promove o bem público e fortalece a dimensão humana dos serviços. 

Dra. Wanessa Portugal – CEO (Diretora Executiva-Geral) da Pró-Saúde

Qual o papel das entidades filantrópicas que fazem a gestão da saúde no Brasil, um país com dimensões continentais?

Posso resumi-lo como essencial na vida de milhões de pessoas. Atualmente, na área da saúde, em 968 municípios brasileiros o único hospital presente é filantrópico (sem a presença do setor público). Na área da educação, mais de dois milhões de jovens têm a oportunidade de estudar em filantrópicas. A Pró-Saúde faz a gestão de hospitais públicos, privados e filantrópicos há 50 anos, nas cinco regiões do País. São mais de um milhão de pacientes atendidos todos os meses, com acesso a serviços eficientes e de qualidade.

Com cinco décadas de atuação da Pró-Saúde, como a doutora avalia a realidade hoje da saúde pública brasileira?

Sabemos das dificuldades que persistem no acesso da população aos serviços públicos de saúde, por isso, gosto muito de destacar a fala de nosso presidente, Dom Eurico dos Santos Veloso, arcebispo emérito de Juiz de Fora, quando ele diz que o cuidado solidário, fraterno e carinhoso com os pacientes e as crianças, inspirado nos profundos conceitos humanistas que permeiam a fé cristã, é a essência do sucesso da Pró-Saúde, expressa no empenho e trabalho diário de cada um de seus colaboradores. Cuidamos de vidas e isso exige comprometimento com rigorosos padrões de qualidade e olhar sensível aos problemas sociais que impactam na gestão da saúde.

Além da gestão de hospitais, UPAs e unidades de saúde, quais projetos a entidade desenvolve?

A Pró-Saúde desenvolve várias ações para a promoção de saúde e qualidade de vida da população, incentivando à adoção de hábitos saudáveis diários e a prevenção de doenças. Saúde mental, saúde da criança e do adolescente, saúde do homem, saúde do idoso, caminhadas nas comunidades, disponibilização de exames preventivos, prevenção ao suicídio, câncer e acidentes de trânsito, entre outras campanhas, são alguns dos temas trabalhados pela entidade.

Gosto de destacar duas campanhas institucionais que também são importantes: a Campanha do Agasalho, que anualmente arrecada milhares de doações que são revertidas para as mais de 700 famílias de crianças que são atendidas nas creches administradas pela Pró-Saúde, na periferia da capital paulista. E no Natal, promovemos arrecadação de brinquedos para estes alunos. A presença da Pró-Saúde na vida destas pessoas promove marcas positivas.

Quais os desafios vislumbrados para o futuro da entidade e do serviço de gestão da saúde?

Acreditamos que as boas práticas de gestão são pautadas pela transparência, responsabilidade e probidade. Por isso, a Pró-Saúde vem debatendo junto a outras instâncias e entes federativos a relevância das instituições filantrópicas no cenário nacional e o cumprimento dos direitos e das garantias constitucionais. Atenta às mudanças e tecnologias que aperfeiçoam a gestão, a Pró-Saúde investe permanentemente na melhoria contínua de seus processos para avançar. O resultado está expresso nas certificações de qualidade e excelência conferidas por órgãos externos, um importante parâmetro de avaliação e reconhecimento do trabalho.

Monsenhor Doutor André Sampaio de Oliveira, Tesoureiro da Diretoria Estatutária da Pró-Saúde

A Pró-Saúde anunciou uma nova identidade organizacional após 50 anos de sua fundação. O que motivou as mudanças?

Esta nova identidade organizacional coloca a Pró-Saúde diante do desafio de ser líder em gestão hospitalar de saúde pública. Queremos continuar contribuindo de modo significativo para a promoção da justiça social, que ganha dimensão ainda mais elevada quando se manifesta em um setor tão essencial como a saúde e a educação. Nossa entidade destaca-se por promover o bem público nos ambientes nos quais atua. Nossa missão sempre será em favor dos mais necessitados. Além disso, lançamos uma nova marca e iniciamos assim uma nova etapa na história da entidade

Qual o papel das entidades filantrópicas, em especial as religiosas, na saúde pública do Brasil?

Temos inúmeros desafios e, no caso da Pró-Saúde, atuamos para aprimorar o modelo de gestão que leve assistência às populações mais carentes e com dificuldade de acesso ao sistema público de saúde. Esse trabalho impacta mais de um milhão de pacientes por mês, na maioria dos casos em regiões amazônicas distantes dos grandes centros urbanos. 

Como esse trabalho é realizado na prática?

A Pró-Saúde cumpre a sua missão baseada em dois pilares: o primeiro é o pilar da Filantropia. Nele, consiste os ensinamentos que Jesus nos deixou e que buscamos preservar em todas as nossas ações: que é o fazer pelo outro. Pelas pessoas que mais precisam. O segundo pilar, é a sabedoria. E a nossa experiência tem mostrado que a sabedoria tem o poder de transformar realidades.

Como a entidade acompanha as mudanças do segmento?

Desde sua fundação, em 1967, no município mineiro de João Monlevade, onde administrava um hospital, a Pró-Saúde vivenciou uma trajetória de permanente crescimento, modernização e desenvolvimento de um modelo ímpar de trabalho e gestão, que é hoje uma referência nacional no setor. Presente em todo o Brasil, nossa entidade é altamente qualificada a prestar atendimento de excelência àqueles que mais necessitam, fazendo isso sob a inspiração dos designíos de fraternidade e de amor ao próximo.

Como líder em gestão hospitalar no Brasil, o que torna o modelo de trabalho da Pró-Saúde tão respeitado?

Não foi sem motivos que nossa instituição se tornou uma das maiores gestoras de serviços de saúde e administração hospitalar do País. Tal posição foi conquistada pela constante preocupação em aprimorar os processos, contar com os melhores profissionais, agregar tecnologias e métodos inovadores e buscar estar sempre sintonizada com o que há de mais eficaz em sua área de atuação.

O sucesso da Pró-Saúde deve-se, sobremaneira, à qualidade técnica e à dedicação exemplar de seus colaboradores de todas as áreas, abrangendo os profissionais da saúde, do setor administrativo e dos serviços de apoio. Somos uma grande família, com mais de 16 mil integrantes, unidos sob o ideal maior de cuidar muito bem de um contingente expressivo de pessoas que atendemos nas Unidades de saúde e centros educacionais infantis que gerenciamos. Somos homens e mulheres, religiosos e religiosas, que, nos desígnios de Deus, nessas cinco décadas, trouxeram a instituição até os nossos dias.

Dom João Bosco Oliver de Faria, Superintendente de Atividades Assistenciais da Pró-Saúde

Quais são os valores que permeiam o trabalho social desenvolvido pela Pró-Saúde?

O primeiro deles passa, necessariamente, pela humanização, por meio de um atendimento centrado nas pessoas, estabelecendo vínculos fraternos entre todos os envolvidos nesse processo. A qualidade, integridade, sustentabilidade e solidariedade garantem a sustentação deste modelo, a partir de práticas que buscam assegurar a perenidade organizacional.

O trabalho coletivo na área da saúde é essencial. Como conduzir a gestão dos profissionais em torno desses valores?

Deus que recompensa, na medida de cem por um, a um copo de água dado em Seu Nome, sabe, na Sua Providência, de misericórdia infinita, retribuir a todos que se dedicaram, segundo sua missão e possibilidades, ao bom desempenho desses projetos voltados ao serviço da saúde e da alegria de viver.

Com tantas conquistas nestes 50 anos, quais são os objetivos daqui para frente?

É motivo de orgulho lembrarmos os 50 anos de trabalho da Pró-Saúde em favor dos brasileiros, especialmente porque atuamos com aquilo que mais prezamos na vida, que é o ser humano. Um trabalho de acolher, atender, educar, compartilhar e promover valores como a generosidade e a humanização. A entidade está dando continuidade ao trabalho de cuidar da saúde dos brasileiros com humanização e qualidade, além de exercer o importante trabalho social na área da educação infantil. Espero que, nos próximos 50 anos, a Pró-Saúde continue trilhando o seu caminho de excelência em gestão hospitalar e que possa beneficiar, ainda mais, a população em diversas regiões do País. Também eu agradeço a Deus a oportunidade de poder somar minha vida e trabalho em tantos importantes projetos no Brasil, voltados à saúde de milhões de brasileiros.

Eis a entrevista completa que foi ao ar no Programa Em Romaria.

Ouça o Programa Em Romaria

 

28 junho 2018, 14:03