Cerca

Vatican News
Crianças no Iêmen Crianças no Iêmen  (ANSA)

Alarme Unicef : 300 mil crianças em risco

A Unicef lançou um alarme ao mundo sobre as regiões de conflitos no Iêmen. Consideraram que terá um grande impacto com consequência muito negativa para as crianças.

Cidade do Vaticano

A diretora geral da Unicef, Henrietta H. Fore, informou que mais de 11 milhões de crianças precisam de ajuda humanitária no país. De modo especial alerta sobre a cidade de Hodeida, quarta maior cidade do Iêmen, com uma população de mais de 400 mil habitantes. "Porque Hodeida é ameaçada por um ataque, estou extremamente preocupada com o impacto que isso terá sobre as crianças desta cidade portuária e não somente. A Unicef estima que pelo menos 300.000 crianças vivem atualmente na cidade de Hodeida e ao redor - meninos e meninas eles estão sofrendo há muito tempo”.

Milhões de crianças no Iêmen dependem de sua sobrevivência dos recursos humanitários e comerciais que passam por aquele porto todos os dias - informou Henrietta.  Sem as importações de alimentos, uma das piores crises de desnutrição do mundo só pode piorar. Sem o combustível importado, essencial para bombear água, acesso à água potável vai diminuir ainda mais, levando a um número ainda maior de casos de diarreia aquosa aguda e cólera, que pode ser letal para crianças pequenas.

Segundo a Unicef, há 11 milhões de crianças que precisam de ajuda humanitária neste país devastado pela guerra. Sufocar esta âncora de vida terá consequências devastadoras para cada um deles. Somente dois dias atrás a equipe da Unicef entregaram aos seus colaboradores locais em Hodeida, antibióticos, seringas, kits higiênicos e alimentos biológicos e terapêuticos para uso. Mas isso não durará por muito tempo – informou a diretora. Se a situação da segurança piorar, a nossa capacidade de resposta será gravemente comprometida.

Por fim a diretora fez um apelo a todos envolvidos neste conflito: Exortamos todas partes em conflito e todos aqueles que tem a influencia de por a proteção das crianças acima de todas as outras considerações. Todo esforço deve ser feito para garantir a segurança das crianças e fornecer-lhes os serviços de saúde, proteção, água, saneamento, nutrição e educação que eles precisam desesperadamente. A distribuição de ajudas deveriam continuar sem obstáculos e civis que desejam transferir-se para lugares seguros deveriam poder. Acolho os atuais esforços diplomáticos para evitar um ataque total a Hodeida. A paz deveria ter uma chance. As crianças do Iêmen não merecem nada em mal. 

Unicef

Fonte: Unicef

13 junho 2018, 12:21