Versão Beta

Cerca

Vatican News
O cardeal holandês estudou medicina antes de ingressar no seminário O cardeal holandês estudou medicina antes de ingressar no seminário 

Card. Willem Eijk: "doação de órgãos ‘post-mortem' é ato de caridade cristã"

O arcebispo de Utrecht concorda com a decisão parlamentar segundo a qual todos os holandeses maiores de idade são potenciais doadores de órgãos, com exceção dos que se recusam explicitamente.

Cidade do Vaticano

Após a aprovação pelo Congresso da Holanda, em 14 de fevereiro, da nova lei sobre transplantes, o Cardeal Willem Eijk, referencial para questões éticas da Conferência Episcopal dos Países Baixos, publicou um comentário no site do Episcopado.

O arcebispo de Utrecht concorda com a decisão parlamentar segundo a qual todos os holandeses maiores de idade são potenciais doadores de órgãos, com exceção dos que se recusam explicitamente.

“ A doação dos órgãos post-mortem é um ato de caridade cristã e de solidariedade, mas não se pode reivindicar direito livre e ilimitado sobre os órgãos ”

A partir de agora, como prevê a nova lei, todos os cidadãos com mais de 18 anos não inscritos no cadastro de doadores recebam uma carta e respondam, oferecendo ou não, sua disponibilidade como doadores ou indicando explicitamente uma pessoa a decidir.

Nem todos os órgãos são transplantáveis

 

Quem não responder à carta (e à sucessiva, seis semanas depois) será automaticamente considerado doador. O cardeal acrescenta ainda que “o explante pode ser efetuado somente depois de ser diagnosticada a morte cerebral total” e que nem todos os órgãos podem ser transplantados, e menciona os relacionados à identidade pessoal, como o cérebro ou suas partes e os órgãos reprodutivos.

27 fevereiro 2018, 15:41