Cerca

Vatican News
30 de Janeiro é Dia da Mulher na Guiné-Bissau 30 de Janeiro é Dia da Mulher na Guiné-Bissau  (AFP or licensors)

Dia da Mulher na Guiné-Bissau – Entrevista com Suzy Barbosa

Cabral era um homem muito atento e favorável à participação da mulher em todo o processo de libertação da Guiné-Bissau e Cabo Verde.

Cidade do Vaticano

30 de Janeiro é Dia da Mulher na Guiné-Bissau. A data foi escolhida em homenagem a uma grande heroína da luta de libertação, Titina Silá. Ela foi morta a 30 de Janeiro de 1973, no Rio Farim, na Guiné-Bissau, enquanto se dirigia para a Guiné-Conacri para assistir ao funeral de líder Amílcar Cabral, que tinha sido assassinado dez antes. Ela fora atingida por uma bala das forças coloniais.

Cabral era um homem muito atento e favorável à participação da mulher em todo o processo de libertação da Guiné-Bissau e Cabo Verde, um exemplo e um estímulo (como aliás também a figura de Titina Silá, para a luta das mulheres de hoje por um lugar digno na sociedade, a começar pela representação quantitativa e qualitativa na politica.

É com este pano de fundo que a correspondente da Rádio Vaticano em Bissau, Indira Correia Baldé, falou com a Deputada do PAIGC e membro da Rede das Mulheres Parlamentares - Suzi Barbosa - da participação política das guineenses hoje no país, e ainda do papel da ajuda alimentar do PAM na educação das meninas.

Oiça tudo na rubrica sobre as mulheres, em que Suzi Barbosa é convidada também a falar do Prémio Pan-Africano da Liderança e Género do ano 2017 de que foi vencedora. 

27 janeiro 2018, 18:26