Versão Beta

Cerca

VaticanNews
São João Paulo II São João Paulo II 

Fundação João Paulo II: "A Loja do Ourives" para ajudar cristãos sírios

A iniciativa pretende apoiar a “Campanha cristãos na Síria”, promovida pela Fundação João Paulo II para o diálogo, a cooperação e o desenvolvimento dos países do Oriente Médio e outras áreas do mundo desfavorecidas

Roma (RV) - Retorna ao teatro a peça “A Loja do Ourives”, escrita por Karol Wojtyla, que apresenta a situação de um casal atormentado, para o qual o divórcio não é uma opção.

Segundo Agensir, a iniciativa pretende apoiar a “Campanha cristãos na Síria”, promovida pela Fundação João Paulo II para o diálogo, a cooperação e o desenvolvimento dos países do Oriente Médio e outras áreas do mundo desfavorecidas. 

A peça teatral do Papa polonês será encenada no teatro Torrino de Roma, no próximo dia 10, por Chiara Graziano e Filippo Velardi, guiados pelo diretor teatral Antonio Tarallo. Eles irão representar o texto de São João Paulo II, encenado, em 2015, na conclusão do Sínodo dos Bispos sobre a Família. O espetáculo foi apresentado em várias igrejas da capital italiana.

“ O texto de Wojtyla examina o amor do casal em suas diversas facetas. A adaptação proposta também quer destacar um discurso mais amplo: a possibilidade de criar um mundo melhor e mais bonito, através da força inesgotável do Amor, ressalta um comunicado da Fundação. ”

Nesse sentido, um amor encenado no teatro. Um teatro que salva, que reflete e faz refletir sobre o hoje. No próximo dia 10, a Fundação São João Paulo II irá chamar a atenção da opinião pública sobre o drama que a Síria está vivendo.
 
Há muito tempo, através das ajudas provenientes de várias campanhas de coleta de fundos que a Fundação João Paulo II promoveu, foram realizadas várias obras de acolhimento e promoção social nessa terra martirizada pela guerra. 

O evento “A Loja do Ourives” quer ser outra artéria dessas atividades que veem no coração o ensinamento de São João Paulo II: “O amor não pode ser ensinado, mas é a coisa mais importante que deve ser aprendida”. 

Portanto, eis a decisão de encenar a peça do pontífice polonês. 

(MJ)

01 novembro 2017, 11:23