Busca

Vatican News

Austrália. Grito da Terra, Grito dos Pobres: empenho dos bispos no sinal da Laudato si'

Os Objetivos da Laudato Si' a serem perseguidos "visam colocar em prática a Encíclica do Papa Francisco de 2015, tornando as comunidades em todo o mundo sustentáveis no espírito da ecologia integral". Os bispos australianos convidam os católicos a "descobrir a sacramentalidade da Criação" no reconhecimento da presença divina no mundo, e a responder com admiração e surpresa; pedem uma "profunda conversão expressa em uma nova maneira de viver, tanto pessoal quanto coletivamente"

Vatican News

Ouça a reportagem e compartilhe!

Um compromisso histórico com uma Igreja mais sustentável acaba de ser assumido pelos bispos australianos, que esta quinta-feira (05/08) divulgaram sua declaração anual em tema de justiça social para 2021, intitulada "Grito da Terra, Grito dos Pobres".

Cuidar de toda a Criação, incluindo o outro, nosso irmão

Os membros da Conferência Episcopal do país se propõem uma viagem de sete anos rumo aos sete Objetivos da Laudato si'. As motivações são imediatamente explicadas pelo presidente da Comissão Episcopal para a Justiça Social, Missão e Serviço, dom Vincent Long:

"Estamos enfrentando uma crise ecológica e o Papa Francisco quer que toda a Igreja em nível global aja com maior senso de urgência", afirma ele. "Na Austrália, pessoas comprometidas com a causa, institutos religiosos, escolas e organizações vêm trabalhando há muito tempo em questões ecológicas. Quero agradecer a todos eles e exortar toda a comunidade católica a juntar-se a eles."

O prelado ressalta em seguida que "o povo aborígine e das Ilhas do Estreito de Torres vem cuidando da terra desde tempos imemoriais. O resto de nós precisa ouvir e aprender como podemos caminhar juntos para cuidar de toda a Criação, incluindo o outro, nosso irmão".

Descobrir a sacramentalidade da Criação

De acordo com o conteúdo da declaração, os Objetivos da Laudato si' a serem perseguidos "visam colocar em prática a Encíclica do Papa Francisco de 2015, tornando as comunidades em todo o mundo sustentáveis no espírito da ecologia integral".

Portanto, os bispos convidam os católicos a "descobrir a sacramentalidade da Criação" no reconhecimento da presença divina no mundo, e a responder com admiração e surpresa; pedem uma "profunda conversão expressa em uma nova maneira de viver, tanto pessoal quanto coletivamente".

"Somos chamados a uma nova maneira de pensar, sentir, compreender e viver", argumentam os bispos na declaração. "Minha esperança é que o 'Grito da Terra, Grito dos Pobres' encoraje respostas cristãs cada vez mais profundas e eficazes aos gritos urgentes da Terra e dos pobres", conclui dom Long.

Plataforma de Ação Laudato si'

A declaração exorta as famílias, escolas, paróquias, dioceses e organizações a se unirem aos bispos para assinar a Plataforma de Ação Laudato si'.

A plataforma, uma iniciativa do Dicastério vaticano para a Promoção do Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, reunirá ideias de ação do mundo inteiro para ajudar os participantes em seu caminho.

O Setor de Justiça Social da Conferência Episcopal esteve envolvido no desenvolvimento da plataforma. O presidente dom Long também anunciou o novo nome da agência, ou seja, Departamento de Justiça, Ecologia e Paz, porque "a justiça social, a ecologia e a paz são inseparáveis".

Vatican News – RB/RL

05 agosto 2021, 12:53