Busca

Vatican News

O sonho de uma igreja em Ur dos Caldeus pode se tornar realidade

O projeto de construção de uma igreja em Ur dos Caldeus foi apresentado ao Patriarca da Igreja Caldeia por um engenheiro, que disponibilizaria os recursos necessários para sua realização. O projeto ganhou o aval também do primeiro-ministro iraquiano, Mustafa al Kadhimi.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Uma igreja a ser construída em Ur dos Caldeus, no governatorato iraquiano de Dhi Qar, também dotada de uma sala de encontros, útil em particular para acolher os peregrinos cristãos que do Iraque e de todo o mundo desejam peregrinar ao lugar onde teve início a jornada do Profeta Abraão para a Terra Prometida.

Este é o projeto - e também o sonho - que acaba de ser apresentado ao Patriarca caldeu Louis Raphael I Sako, pelo engenheiro caldeu Adour Ftouhi Boutros Katelma.

O engenheiro iraquiano - segundo a mídia do Patriarcado Caldeu - apresentou o projeto como uma doação particular, oferecendo-se para disponibilizar os recursos necessários à sua realização. O Patriarca, por sua vez, encorajou e abençoou a iniciativa, sugerindo que a igreja fosse dedicada a Ibrahim al Khalil, Abraão, pai de todos os crentes, e que batizasse a sala de reuniões para peregrinos em homenagem ao Papa Francisco, que em 6 de março visitou Ur dos Caldeus durante sua Viagem Apostólica ao país.

 

Durante o encontro entre o engenheiro Boutros Katelma e o Patriarca Sako, foi revelado que também o primeiro-ministro iraquiano, Mustafa al Kadhimi, expressou sua aprovação ao projeto.

“Aqui, onde viveu o nosso pai Abraão, temos a impressão de regressar a casa”. Assim, após ser recebido em Najaf pelo Grande Aiatolá Ali al Sistani, o Papa Francisco iniciou o seu pronunciamento em 6 de março de 2021 na Planície de Ur dos Caldeus, em um dos momentos-chave de sua Viagem Apostólica ao Iraque. Um acontecimento partilhado por representantes das comunidades de fé presentes no país, oferecido como "sinal de bênção e esperança para o Iraque, para o Médio Oriente e para todo o mundo", na certeza de que "o Céu não se cansou da terra: Deus ama cada povo, cada uma das suas filhas e cada um dos seus filhos! Nunca nos cansemos de olhar para o céu, de olhar para estas estrelas, as mesmas que outrora viu o nosso pai Abraão.”

Em seu pronunciamento, precedido por leituras do Livro do Gênesis e do Alcorão e de quatro testemunhos, o Papa repropôs a jornada de Abraão de Ur à Terra Prometida como uma figura de caminho a que todos os crentes e toda a família humana são chamados a realizar para atravessar as trevas do tempo presente e acolher o “sonho de Deus”, que criou todos os seres humanos para a felicidade.

“Deus – disse o Papa - pediu a Abraão que levantasse os olhos para o céu e contasse as estrelas. Naquelas estrelas, viu a promessa da sua descendência, viu-nos a nós. E hoje nós, judeus, cristãos e muçulmanos, juntamente com os irmãos e irmãs doutras religiões, honramos o pai Abraão fazendo como ele: olhamos para o céu e caminhamos sobre a terra."

No sábado, 8 de maio, expoentes de diversas Igrejas cristãs de todo o mundo visitaram Ur dos Caldeus e rezaram juntos na morada de Abraão, num singular ato eclesial e ecumênico que também expressou a esperança de que o fluxo de peregrinações cristãs em breve reinicie e cresça naquela área.

*Com Agência Fides

12 julho 2021, 14:14