Vatican News
Jovens da Pascom Jovens da Pascom 

Pandemia: jovens na experiência da comunicação eclesial

Com a pandemia e as igrejas fechadas às celebrações presenciais os jovens assumiram o desafio de levar a Igreja para as famílias. Uma missão que colocou a Pastoral da Comunicação na linha de frente de igreja. Na Diocese de Campos os jovens da Paróquia Nossa Senhora da Penha, no Distrito de Morro do Coco, no município de Campos dos Goytacazes (RJ) falam dos desafios e do aperfeiçoamento das técnicas. Diante do medo a coragem de assumirem a missão.

Ricardo Gomes – Diocese de Campos

A pandemia e o fechamento das igrejas às missas com fiéis foi um momento para a Pastoral da Comunicação iniciar o processo de transmissão das missas celebradas apenas com a equipe que enfrentou desafios de aperfeiçoar as técnicas de uso das tecnologias digitais e o uso das mídias digitais. Um ano se passou e a pandemia continua. Mesmo com a flexibilização em algumas regiões a experiência da Igreja retornar as celebrações com fiéis com todos os cuidados sanitários, a presença no ambiente digital revela uma Igreja com celebrações e momentos de evangelização numa realidade muito importante a se manter.

A Paróquia Nossa Senhora da Penha, Morro do Coco, Campos dos Goytacazes (RJ) iniciou o trabalho e missão da Pastoral da Comunicação reunindo jovens que se aperfeiçoaram nas novas tecnologias digitais e assumiram todos os desafios de evangelizar através das mídias sociais. Uma experiência coletiva que promove a missão da Igreja pelo território da Internet, uma janela para o mundo.       

A coordenadora da Pastoral, Maria Eduarda Guimaraes destaca que foi um desafio desde o início da pandemia, mas foi também uma experiencia muito importante para os jovens que assumiram a missão de estar servindo a Igreja num tempo muito difícil. Foi uma oportunidade para o crescimento pessoal e comunitário.

Jovens da Paróquia Sagrado Coração com o padre Murialdo
Jovens da Paróquia Sagrado Coração com o padre Murialdo

“Mudamos estratégias das lives, fotos e as publicações para que chegassem melhores aos corações das pessoas que estavam em casa”, disse Maria Eduarda.

Priscila Sales recorda que o desafio maior foi na parte emocional! Era acostumada a ver a igreja sempre cheia, sempre com muita alegria e de repente os bancos estavam vazios e a igreja estava tomada pelo silêncio. E revela que ficava muito triste em ver aquela cena, mas com a esperança de que isso não seria pra sempre.

“Aumentou a minha fé e deu mais forças para continuar pois sabia da necessidade e da importância das transmissões em um momento de tanta fragilidade.  Sinto-me muito orgulhosa de fazer parte de uma pastoral que possibilitou levar a Palavra de Deus por meio das transmissões a tantos lares, assim, não deixando as pessoas sem a Santa Missa que é tão importante para o nosso alimento espiritual. Com muitos desafios, mas sempre confiante, graças a Deus com a chegada da vacina, muitas coisas melhoraram, uma delas foi o retorno às missas presenciais. A Pascom é uma pastoral muito unida e saber que a gente pode contar um com o outro é um grande incentivo para continuarmos com essa tão linda missão”, disse Priscila.

Pascom Nossa Senhora da Penha, Morro do Coco
Pascom Nossa Senhora da Penha, Morro do Coco

” Foi muito difícil, me senti perdida e com um vazio muito grande, pois meus irmãos não estavam comigo, sem falar em tudo que está acontecendo, como as mortes.” Juliana de Azevedo Assis.

Juliana confessa que se sente privilegiada por poder estar presente num momento que a Igreja estava sem as missas com os fiéis. E a recompensa de poder, através de sua missão, comunicar a Palavra através das Missas à comunidade que devido ao isolamento social estava em casa.

“No início tive medo e coloquei tudo nas mãos de Deus, pois tenho uma família que é grupo de Risco. Encontrei-me na Pastoral comunicação, é gratificante ter feito parte dessa pastoral em todos os momentos”, conta.

Wellington Gaio Tavares destaca que a pandemia deu à Pastoral da Comunicação a possibilidade de ampliar a ação e serviço à Igreja, levando aos lares a Palavra de Deus. Para o jovem foi algo muito privilegiado em relação a pastoral e comunidade, com esse tempo tão difícil foi algo bem importante.

“As lições de realizar um serviço eclesial que possibilitou que as celebrações atingissem os fiéis em suas casas. Acredito que seja a questão mesmo de ser privilegiado como disse na primeira pergunta, pois, estar ali servindo, dando a vida pela pastoral, automaticamente vamos estar atingindo a confiança de cada fiel da nossa comunidade. Experiência pessoal de estar realizando uma missão importante e necessária durante a pandemia. A palavra para essa experiência é gratidão, por vivenciar cada momento e não deixar a nossa comunidade sem assistir as missas. Costumo dizer que para Deus nada é impossível, estar ali servindo na Pascom, me mostrou o ato de responsabilidade e dedicação, não só com a igreja, mas, para a vida”, disse o jovem.

Maykon Carvalho
Maykon Carvalho

“Período extremamente complicado, pois não vinha ninguém e isso me causava um certo vazio. Uma grande lição foi dar mais valor a Santa Missa, pois o período está sendo muito difícil. Em relação as transmissões é um privilégio levar a palavra e a eucaristia para a casa dos fiéis. Senti-me privilegiada pois tinha acesso às Santas Missas, enquanto muitos não estavam tendo. No início tive muito medo, pois era um risco sair de casa, mas hoje com auxílio de Nossa Senhora conseguimos estar firmes e manter a calma. A cada dia que passa aprendo mais na pastoral, a nossa convivência é ótima”, Jéssica da Silva Queiroz

Sob a proteção de Nossa Senhora

Maria Eduarda Guimarães, ressalta a devoção a Nossa Senhora e a ela a Pastoral da Comunicação se consagra e coloca sobre a proteção as ações em busca de uma pastoral integradora. No Dia Mundial das Comunicações Sociais a Pastoral da Comunicação realizou um momento dedicado a Nossa Senhora com a coroação da imagem da Virgem. Padre José Maurício Peixoto aproveitou para destacar a missão e os desafios dos jovens, mesmo diante da pandemia, de aceitarem levar a Palavra de Deus até os lares num tempo que as missas eram celebradas sem os fiéis na paróquia.

“Foi um tempo muito difícil para a nossa comunidade paroquial e os jovens assumiram essa missão de fazerem com que a igreja fosse até as famílias. Só tenho de agradecer por essa missão e que sirva de inspiração a outros jovens que possam estar em sintonia com a igreja na missão de evangelizar. Quero parabenizar esses jovens pela coragem”, disse padre José Mauricio.

Carlos Junior
Carlos Junior

Jovem: compromisso e missão

A pandemia acelerou o processo de produção da Pastoral da Comunicação com a necessidade de transmitir as celebrações eucarísticas realizadas nas igrejas sem a presença de fiéis. Maykon Carvalho, 21 anos iniciou com a transmissão das missas de sua comunidade. Mas percebeu a necessidade de avançar nas técnicas e de oferecer uma transmissão pelas Redes Sociais com qualidade. Superou os desafios de estar durante o ano passado e iniciou um processo de aperfeiçoamento das tecnologias das mídias digitais e na produção de cartazes e conteúdo midiático.

Tempos difíceis. Maykon levou a sério a missão de evangelizar através das redes sociais num tempo em que a igreja estava fechada as missas com presença de fieis e aperfeiçoar a qualidade das transmissões das celebrações eucarísticas apenas com número reduzido de participantes. Geralmente com o celebrante um leitor e a equipe de transmissão pelas redes sociais. Venceu o medo e se lançou a missão se tornando uma referência aos jovens que estão presentes das comunidades paroquiais. Desde o início, na Pastoral da Comunicação em 2017, Maykon buscou frutificar os talentos servindo de exemplo para que muitos jovens assumam a comunicação sendo missão.

O jornalista Silvonei José da Rádio Vaticano destaca a importância do exemplo do jovem ser inspirador da juventude a desenvolver os talentos e estar em sintonia de uma comunicação que possa servir de exemplo de dedicação a missão de comunicar o Evangelho através das Redes Sociais na promoção da Cultura do Encontro, se inspirando na Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial das Comunicações.

Jovens comunicadores

Uma rede de comunicadores

Esse período de pandemia e transmissões foi muito desafiador, e ao mesmo tempo muito importante para mim, como pessoa, como pastoral, como católica e como Igreja. Perceber que, na maioria das vezes, precisamos estar distantes ou privados de participar da Santa Missa, para de fato entender como é especial estar ali.” - Maria Clara Freitas Vilar Martins

Aos poucos a Pastoral da Comunicação se transformou numa rede de comunicadores para levar a mensagem do Evangelho a todas as partes do mundo comunicando a Palavra de Deus. As missas iniciaram o caminho da igreja nas infovias e a partir das experiências surgiram as lives musicais das pastorais e movimentos. Reuniões e encontros passaram a serem realizados nas plataformas digitais. Um desafio que deve ser mantido como uma nova experiência de evangelização que vai até as pessoas onde e como estão. Em Campos os jovens Giovana Fernandes Soares, Leonardi Almeida e Maria Clara Freitas Vilar Martins, da Paróquia Sagrado Coração de Jesus deram seu sim e iniciaram na pandemia as atividades da recém-criada Pastoral da Comunicação. Desafio, mas a coragem de fazer com que as celebrações chegassem as casas.

Giovanna Fernandes Soares revela que está ainda sendo um ciclo desafiador e de abrir mão da segurança que o isolamento social proporciona para estar na igreja para as transmissões, mas essa experiência pessoal faz valorizar a celebração eucarística. Dificuldades que teve de enfrentar no início da pandemia que fechou as igrejas às missas com fiéis.

“Foram muitas as dificuldades que enfrentamos no início para conseguir levar uma transmissão de qualidade para os paroquianos foi, no início, um período de muita dificuldade e dedicação. Hoje, consigo perceber a importância de viver em comunidade e confiar que Deus continua a realizar suas obras, mesmo que não seja da maneira que queremos. A Pascom me ensinou grandes lições que agregaram na minha vida como pessoa e como Igreja que irei sempre levar comigo”, conta Giovanna.

Começar a pastoral foi uma luta de todos e foi uma novidade, já que a Paróquia Sagrado Coração de Jesus tem uma história de eventos e com a pandemia foram adaptados para as Redes Sociais acolhendo os fiéis mesmo virtualmente nas celebrações. A incerteza de quanto tempo duraria a pandemia causando incertezas e o medo de serem contaminados e de levar o vírus aos nossos, aos sacerdotes, mas com as orações de todos, nós continuamos mesmo que com medo.

“Estávamos nos aproximando da Semana Santa, quando tivemos um apoio sem igual do nosso amigo Guto Leite, ele chegou sem nos conhecer, mas nos trouxe toda a sua experiência, equipamentos e amizade para que estivéssemos seguros e entregássemos uma melhor qualidade nas transmissões. Ele permaneceu com a gente, e quando saía do trabalho, participava das celebrações conosco, sempre nos ajudando. Guto permaneceu com a gente até o dia 18/06/2020, um dia antes da festa do Sagrado Coração de Jesus, nosso padroeiro, quando foi chamado para junto de Deus. Das coisas que sabemos, muita coisa foi que ele nos ensinou. Com ele, conseguimos nos adaptar a uma forma de transmitir que entregava qualidade, e com a sua partida, continuamos essa caminhada”, recorda Maria Clara.

Para os jovens tudo era novo, mesmo com certas experiências com as mídias sociais. Foi necessário aprender técnicas, pesquisar sobre como oferecer transmissões com qualidade. Aquisição de equipamentos, melhorar a conexão de Internet e em meio ao lockdown, tiveram que acertar todos detalhes.

Carlos Júnior conta como iniciou na Pastoral da Comunicação da Quase Paróquia Nossa Senhora da Conceição, Barcelos, São João da Barra. Foi um aprendizado para o jovem fotógrafo e atualmente designer na Comunicação Diocesana.

“Minha participação na Pascom deu-se no início de 2018 aqui na matriz de Barcelos e ao longo desse período a Pastoral buscou sempre realizar todas suas funções da melhor forma possível. No ano passado com a pandemia a Pascom como um todo teve uma importância relevante pois devido tantas restrições, o grande desafio era levar a igreja até às casas e as famílias, tem sido um grande desafio para a pastoral em aproximar os fiéis nesse momento de distanciamento. Foi um grande desafio e ao mesmo tempo uma emoção. Levar a Santa Missa principalmente até aqueles que não podiam ir à igreja. Conta Carlos Júnior.

Carlos Junior destaca que mesmo passando a pandemia o trabalho das transmissões das missas e celebrações continuarão acontecendo com a Pascom com sua atividade pastoral de integração.

17 maio 2021, 10:15