Busca

Vatican News
Assembleia Geral do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam) Assembleia Geral do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam)  

América Latina: concluída a 38ª Assembleia do Celam, os bispos escrevem ao Papa

Sublinhando que a 38ª Assembleia foi realizada no contexto da pandemia da Covid-19, os prelados estão cientes de seus efeitos sobre a "forte desigualdade que vive o continente" e reafirmam seu compromisso de "exercer o discernimento colegial e sinodal através da escuta atenta" do sopro do Espírito Santo, presente no “grito do povo de Deus”.

Vatican News

A 38ª Assembleia Geral do Conselho Episcopal Latino-americano (Celam) concluiu-se, na sexta-feira, 21 de maio, com uma carta ao Papa Francisco.

Com a carta, os bispos da região apresentam ao Papa "a nova estrutura pastoral" do organismo, aprovada pela assembleia, "fruto do imenso trabalho" realizado nos últimos dois anos, após a plenária realizada em Honduras, em 2019.

Sublinhando que a 38ª Assembleia foi realizada no contexto da pandemia da Covid-19, os prelados estão cientes de seus efeitos sobre a "forte desigualdade que vive o continente" e reafirmam seu compromisso de "exercer o discernimento colegial e sinodal através da escuta atenta" do sopro do Espírito Santo, presente no “grito do povo de Deus”.

"Como pastores do povo de Deus", lê-se na carta, "queremos ouvir tanto o grito da terra quanto o grito dos pobres, com a consciência de que tudo está interligado", e o grito do "Evangelho do Reino de Deus, com a esperança de sairmos juntos e melhores desta crise", porque, como afirma o próprio Pontífice, "estamos todos no mesmo barco e ninguém se salva sozinho". A carta destaca os numerosos desafios pelos quais a Igreja latino-americana se sente "sobrecarregada". Todavia, prevalece "a confiança em Deus que sempre surpreende, renova, fortalece e inspira a própria Igreja a abundar em criatividade pastoral". Pensando nisso, os prelados expressam ao Papa Francisco seu desejo de seguir "a lógica do transbordamento", indicada na exortação apostólica pós-sinodal "Querida Amazônia".

"O transbordamento", escreve o Celam, "é uma novidade do Espírito Santo que abre a possibilidade de uma superação criativa de conflitos e contrastes nítidos”, tanto que o Pontífice quis "promover este tipo de 'transbordamento' na Igreja fazendo reviver a antiga prática da sinodalidade". Ao mesmo tempo, a 38ª Assembleia Geral do Celam reafirma o seu apoio à organização e realização da primeira Assembleia Eclesial da América Latina e Caribe, programada de 21 a 28 de novembro em Cidade do México: "Percorramos este caminho como um aprendizado na prática da sinodalidade que deve ser o humor e o estilo de nossa vida eclesial presente e futura", reitera a carta.

Os bispos recordam os quatro sonhos propostos pelo Papa na "Querida Amazônia": um sonho social que "encoraja o continente a lutar pelos direitos dos mais pobres e por uma sociedade mais justa"; um sonho cultural para "preservar seu patrimônio cultural num diálogo intercultural"; um sonho ecológico para "salvaguardar suas belezas naturais e o valor da vida"; e um sonho eclesial para uma Igreja com "comunidades cristãs capazes de dar-lhe um rosto latino-americano e caribenho que dê um testemunho claro do Senhor Ressuscitado".

Por fim, o Celam expressa sua gratidão ao Papa pelo seu magistério que "de uma maneira especial nos iluminou neste tempo de pandemia através de seu testemunho e de suas palavras".

Eis a íntegra da cartaa:

CONSELHO EPISCOPAL LATINO-AMERICANO

PRESIDÊNCIA

"Somos todos discípulos missionários em saída"

Bogotá, D.C., 21 de maio de 2021

A Sua Santidade

FRANCISCO

Cidade do Vaticano

Santo Padre:

Na conclusão desta 38ª Assembleia Geral Ordinária do CELAM, que se realizou pela primeira vez presencialmente e virtualmente, gostaríamos de vos apresentar a nova estrutura pastoral do CELAM que aprovámos. Nós, os participantes, reconhecemos o imenso trabalho que tem sido feito durante dois anos sob a liderança da Presidência para cumprir o mandato dado pela Assembleia de Honduras em 2019.

O nosso encontro teve lugar no contexto da pandemia da COVID-19, o que expõe a forte inequidade que o nosso continente está experimentando e que a acentuou, como se pode ver na taxa de pobreza per capita, que cresceu 12%.

Como pastores do Povo de Deus, queremos colocar um ouvido no grito da terra e o clamor dos pobres com a consciência de que tudo está interligado, e o outro ouvido no Evangelho do Reino de Deus com a esperança de sairmos desta crise juntos e melhores, animados pelas suas palavras: "estamos todos na mesma barca", "ninguém se salva sozinho".

Ao contemplarmos a situação dos nossos povos, confirmamos a experiência de que a realidade nos transborda e os desafios vencem-nos, mas confiamos que Deus nos surpreende, renova, fortalece e inspira-nos a transbordar de criatividade pastoral. Desejamos seguir a "lógica do transbordamento" que o senhor nos propõe (cf. QA 104-105).

O transbordamento é uma novidade do Espírito Santo que abre a possibilidade de uma superação criativa dos conflitos e das polaridades. O senhor quis promover este tipo de "transbordamentos" dentro da Igreja, reavivando a antiga prática da sinodalidade. A ação discreta e harmoniosa do Espírito ultrapassa os nossos horizontes limitados e abre-nos ao excesso do amor gratuito de Deus, à sabedoria da cruz pascal, e ao dom da vida abundante para todos (cf. Jo 10:10) e leva-nos a um transbordamento missionário em saída permanente.

Partilhamos o nosso apoio esperançoso à primeira Assembleia Eclesial da América Latina e do Caribe: Aparecida, "Memória e Desafios"; com a participação de todos os setores do Povo de Deus, já lançada em janeiro passado, e que se encontra atualmente no processo de escuta. Percorremos este caminho como uma aprendizagem na prática da sinodalidade, que deve ser o talante e o estilo da nossa vida eclesial presente e futura.

Na comunhão do Espírito, procuramos exercer um discernimento colegial e sinodal através a escuta atenta aos "gemidos inexprimíveis" do Espírito Santo (cf. Rom 8,26) e dos clamores do Povo de Deus. Como discípulos missionários estamos tentando escutar a Palavra de Deus, para sentir o clamor dos povos e ouvir os nossos irmãos e irmãs para respirar nas suas vozes a vontade de Deus que nos ama e nos chama (cf. Ap. 366, 454).

O horizonte que propusemos a nós próprios inclui os quatro sonhos que o senhor quis despregar na exortação apostólica Querida Amazônia. Queremos ser uma Igreja que: anima o continente a lutar pelos direitos dos mais pobres e por uma sociedade mais justa (sonho social); preserva o seu património cultural num diálogo intercultural (sonho cultural); custodia sua beleza natural e o valor da vida (sonho ecológico); uma Igreja com comunidades cristãs capazes de lhe dar um rosto latino-americano e caribenho que dê um testemunho claro do Senhor Ressuscitado (sonho eclesial).

Agradecemos-lhe pelo seu ministério e pelo seu magistério, particularmente neste tempo de pandemia que nos iluminou com o seu testemunho e a sua palavra.

Juntamente consigo, unimo-nos em oração por tantos homens e mulheres que estão sofrendo a doença e confiá-los à Mãe de Misericórdia, e para aqueles que perderam entes queridos, com os quais nos unimos na comunhão dos santos.

Asseguramos-lhe as nossas orações por si e pedimos a sua bênção paterna.

 

Dom Cabrejos Vidarte, O.F.M.

Arcebispo de Trujillo, Peru

Presidente

 

Card. Odilo Pedro Scherer

Arcebispo de São Paulo, Brasil

Primeiro Vice-Presidente

 

Card. Leopoldo José Brenes Solórzano

Arcebispo de Manágua, Nicarágua

Segundo Vice-Presidente

 

Arcebispo Rogelio Cabrera López

Arcebispo de Monterrey, México

Presidente do Conselho para os Assuntos Económicos

 

Arcebispo Jorge Eduardo Lozano

Arcebispo de San Juan de Cuyo, Argentina

Secretário-Geral

 

Vatican News Service – IP/MJ

24 maio 2021, 12:38