Busca

Vatican News

Em Bangalore, escolas católicas recebem doentes menos graves para liberar leitos em hospitais

“Desta forma, podemos poupar leitos nos hospitais, deixando-os livres para os doentes mais graves que precisam de cuidados médicos imediatos e de apoios vitais”, explicou o arcebispo Peter Machado.

Vatican News

Hospitais saturados, estoques de oxigênio esgotados, corpos cremados nas ruas. A situação na Índia - que luta com a segunda onda de Covid-19 e sua nova variante "indiana" mais contagiosa, que nos últimos dias causou mais de 300.000 novas infecções a cada 24 horas - é cada vez mais dramática.

Também as instalações de saúde católicas não têm mais capacidade para receber novos pacientes de Covid. Por esta razão, a Igreja está buscando soluções alternativas para assistir os doentes menos graves e, assim, aliviar a pressão sobre os hospitais.

 

É o caso da Arquidiocese de Bangalore, no Estado de Karnataka, no sul, onde o arcebispo Peter Machado colocou à disposição escolas e outras estruturas católicas para acolher os pacientes que já passaram da fase crítica da doença. “Desta forma, podemos poupar leitos nos hospitais, deixando-os livres para os doentes mais graves que precisam de cuidados médicos imediatos e de apoios vitais”, explicou o prelado à Agência UCA News. “Aqueles que superaram a fase crítica podem continuar a receber os cuidados nesses centros temporários.” Dom Machado também ofereceu voluntários para apoiar os profissionais de saúde.

Bangalore tem um total de doze hospitais administrados pela Igreja, todos eles também lotados. A situação não é diferente em outras cidades indianas, incluindo Mumbai e a capital Nova Delhi. Na Diocese de Indore, o Ordinário local, Dom Chacko Thottumarickal, escreveu aos fiéis para explicar que nos hospitais católicos não há mais vagas para pacientes Covid: “Os tempos são difíceis para todos e talvez o pior ainda esteja por vir - adverte - quem encontra um leito tem sorte”.

Na Índia, somente na semana de 19 a 26 de abril, foi registrado um aumento cumulativo de 89% nas mortes por Covid-19 e um total de 2,2 milhões de novos casos - o maior aumento em sete dias registrado por qualquer país. O balanço total ultrapassou 17 milhões de contágios em uma população de quase 1,4 bilhão de habitantes.

Diante da nova emergência, também causada pela lentidão da campanha de vacinação do país, a recomendação dos bispos é ficar em casa e respeitar escrupulosamente os protocolos de saúde. Nos últimos dias, vários representantes da Igreja na Índia pediram ao governo federal a intervenção do exército militar para ajudar os civis a administrar a situação.

Vatican News Service - LZ

29 abril 2021, 18:52