Busca

Vatican News
Rosário das crianças Rosário das crianças 

Crianças da Diocese de Nova Friburgo rezam o Terço pelo fim da pandemia

Num tempo marcado pela dor, sofrimento e morte na Diocese de Nova Friburgo o Movimento Rosário das Crianças reúne famílias para rezarem pelo fim da Pandemia. Anderson Gomes de Faria conta um pouco da história do movimento que iniciou na Matriz de Nossa Senhora da Conceição, Rio das Ostras (RJ) e o bispo diocesano de Nova Friburgo, Dom Luís Antônio Lopes Ricci incentivou a ser levado a todas as Paróquias.

Ricardo Gomes – Jornalista

“Realmente uma grande benção e inspiração da graça de Deus que tem dado muitos frutos espirituais e pastorais para toda a diocese, com um potencial de evangelização e comunicação da mensagem e espiritualidade mariana para outras comunidades eclesiais, para além da diocese, pelas redes sociais. Deus os abençoe sempre mais nesta fecunda missão! Pé Luiz Cláudio Azevedo de Mendonça - Chanceler da Diocese de Nova Friburgo”  

Neste tempo de Pandemia a oração tem sido importante para ajudar as pessoas. E as preces das crianças tem reforçado a fé nas famílias que compartilham de mais tempo de convívio. E Na Diocese de Nova Friburgo (RJ) o Movimento Rosário das Crianças está reunindo as famílias pedindo pelo fim desse tempo profundamente marcado pela dor, sofrimento e mortes. Uma iniciativa que surgiu no dia 8 de dezembro de 2018 na Matriz de Nossa Senhora da Conceição em Rio das Ostras (RJ) e no dia 30 de novembro de 2020 na Paróquia São Jorge das Missões o Bispo Diocesano, dom Luís Antônio Lopes Ricci reconheceu o Movimento Rosário das Crianças de caráter diocesano e incentivou a que fosse realizado em todas as paroquias, nomeando Anderson Gomes de Faria Coordenador e o padre Rodrigo Rimes assessor diocesano e padre Luís Cláudio de Mendonça, formador.

Rosário das crianças
Rosário das crianças

Anderson recorda o início em uma turma de catequese infantil que completavam o período de formação e surgiu a ideia do movimento de reunir as crianças para a meditação do Terço. Com a Pandemia a solução foi realizar os momentos de forma virtual de segunda a sexta às 18h e às 19h e sábado e domingo às18h. O resultado é que as famílias são envolvidas nestes momentos de oração. Anderson conta um pouco de sua vivencia recitação do Terço. Ex-seminarista redentorista e natural de Macaé recorda a sua juventude na Paróquia Nossa Senhora de Fátima onde foi coroinha e aprendeu as lições com o padre Jesus Montoto García.

"Em minha juventude atuei como coroinha do padre Jesús Montoto García, pioneiro em nossa Diocese onde recebi dele toda a formação não só como padre, mas como um amigo o acompanhei até a hora de sua morte. Padre Jesús que era monsenhor não fazia questão de usar o título, devoto da Virgem Maria rezava o Rosário completo todos os dias, após seu desligamento da paróquia em que construiu com ajuda do povo macaense, a maior igreja da diocese, passou a residir numa casa de idosos onde viveu seus últimos anos com adoração a Jesus exposto todos os dias, nesse ambiente de oração o acompanhava recebendo do sacerdote o exemplo e formação que deu nome ao grupo em nossa Diocese” recorda.

Anderson Faria viu a necessidade urgente de uma preparação para as crianças para que não fossem futuramente encher as igrejas protestantes sendo católicos insuficientemente catequizados: e foi assim junto com a Juliana Lopes e Celso Ricardo. O Movimento recebeu total apoio e incentivo do padre Rodrigo Rimes, pároco da igreja de São Jorge das Missões em Rio das Ostras RJ o grupo começou a crescer e chegar aos três vicariatos da Diocese. O primeiro a acolher o grupo na Diocese foi o Administrador Apostólico dom Paulo De Conto que abençoou o grupo e deu lhes autorização para usar o brasão da Diocese em sua camisa oficial. Após seu retorno, com a chegada de dom Luiz, apresentado o projeto missionário do Rosário das Crianças o bispo consultou padre Rodrigo que prontamente aceitou assumir assessorar o grupo na Diocese da Alegria.

Rosário das crianças
Rosário das crianças

“A importância de atender o pedido da Virgem em Fátima aos Santos pastorzinhos que são hoje o mesmo pedido às nossas crianças, se faz necessário para a salvação do homem, são santos inocentes, soldados da Virgem Maria que ao suplicarem a Mãe de Deus que rogue por nós, pecadores, agora e na hora de nossa morte, principalmente nesse período tão sofrido que tem sido com essa atual pandemia. São famílias que se reúnem para rezar e acompanhar seus filhos, sobrinhos, afilhados e netos, neste momento”, revela Anderson.

A oração durante a Pandemia

Com o início da Pandemia a realização do movimento passa a ser realizado pelas redes sociais. O desafio começa a ser vencido e o movimento já está sendo realizado nos 03 vicariatos da diocese, teve seu acolhimento como primeiro grupo criado no Vicariato sede na paróquia de Nossa Senhora das Graças com o padre Formador Luiz Cláudio Azevedo de Mendonça, chanceler do bispado e no Vicariato Norte acolhido na Paróquia de São José do Ribeirão na cidade de Bom Jardim pelo atual Vigário Episcopal, padre Marcelo Campos, e caminha aos poucos chegando onde lhe abrem as portas, pois ainda caminha em passos curtos, uma vez que a pandemia não permite a realização do trabalho missionário de evangelização presencial com as crianças que não estão nas igreja, principalmente aquelas sem a prática da religião na família.

“Temos no estatuto a prática da adoração a Jesus escondido na eucaristia todo primeiro sábado de cada mês, e como compromisso iniciamos em 2018 uma concentração no Santuário nacional Aparecida e que agora, com a bênção e aprovação de nosso bispo Diocesano, será a segunda romaria do Grupo O Rosário das Crianças programada para dia 30 de outubro de 2021 com um encontro diocesano, dependendo da situação da Pandemia. São inúmeros os desafios, porém muito maior são as graças que se pode alcançar com essa devoção mariana tão necessária e excluída de nossas famílias: rezar em família”, destaca Anderson.

Rosário das crianças
Rosário das crianças

Famílias: experiencia de fé e de oração

O Movimento Diocesano Rosário das Crianças está promovendo a evangelização das famílias reunidas para rezarem o Terço implorando a intercessão de Nossa Senhora pelo fim da Pandemia.

“Rezar o Rosário é importante, pois nos dá força ainda mais nesses tempos difíceis. Através da oração que conversamos com Deus sobre o que nos preocupa e ele sempre nos atende.” Mariângela Heiderich do Grupo Rosario das crianças Nossa Senhora das Graças – Nova Friburgo.

“Meu pai sempre me ensinou me ensinou a importância e o amor que devemos ter pela Virgem Maria e o grupo Rosário das Crianças nos ensina a praticar esse amor através das orações e dos encontros que fazemos com nossos colegas durante a Pandemia.”  Alice Barros de Faria – Coordenadora do Grupo Nossa do Rosário de Fátima – Macaé.

“O Rosário é importante na minha vida porque faz eu me sentir perto de Nossa Senhora e de Jesus Cristo, me sentir mais forte e em paz no dia-a-dia.” Clara Rios Damasceno Mussi Richa – Secretária do Grupo Nossa Senhora do Rosário de Fátima – Macaé.

“O Rosário das crianças é um projeto muito bonito, e que incentiva várias crianças a rezar, a se comunicar com a Palavra, criando um vínculo desde pequenos com a Palavra de Deus.” Marcela Islane Nascimento e Sofia Nascimento Bouçou- Grupo São José – Macaé

“O Rosário das crianças é uma benção na vida de cada criança e família que participa desse momento único com Nossa Senhora. Começou pequenino e hoje, tornou-se grande pelo amor e dedicação de cada criança e jovem que organiza e conduz a oração do Rosário com orientação e colaboração dos coordenadores de grupos (crianças) e os responsáveis pelos grupos (adultos). É um trabalho de amor para Nossa Senhora e para Cristo.” Tia Adriana Cristina Ignácio – Rio das Ostras.

Família em oração

“Que a sua vida seja sempre abençoada por Nossa Senhora do Rosário de Fátima, aquela que ensinou as criancinhas como amar verdadeiramente a Deus nos nossos tempos. Somos chamados por Nossa Senhora de Fátima a ensinar nossas crianças a viver uma vida em Cristo, regada pelo amor e perseverança. Nosso objetivo é plantar nos corações de nossas crianças a sementinha da fé e o hábito de rezar o Santo Rosário.” Tia Bianca Barroso- São José do Ribeirão- Bom Jardim.

“Se um milhão de crianças rezarem o Rosário juntas o mundo mudará. São Pio de Pietreltina. Tudo que uma pessoa precisa nessa vida é rezar e depois que eu comecei a rezar o Santo Rosário minha vida mudou, pois a devoção a Nossa Senhora é radiante e milagrosa. Todos os dias que estou rezando meu coração se enche de alegria, me sinto muito privilegiada de ter entrado neste grupo que contribuo na função de coordenadora de Nossa Senhora no Grupo de Sant’Ana de Sossego e reunindo e convidando crianças de outras cidades para rezar.” Ana Júlia Menegussi- Sant’Ana do Córrego- Nova Friburgo.

“Rezar o Rosário diariamente é uma devoção. Quantas vezes escutamos os nossos avós e pais dizerem que iam rezar o Rosário na igreja? Falar com a Mãe de Deus é uma necessidade para um bom filho de Deus. Dentro da minha experiencia pastoral pude ver muitas graças que vieram pela oração do Rosário, já escutei ate que essa oração faz bem a saúde, acalma o orante que está em meio a preocupações e traz conversão. E por este motivo e por muitos outros que amamos e temos um enorme carinho por este grupo.” Tia Juliana Lopes – Rio das Ostras.

“Ao recitar o Santo Rosário a oração predileta da Virgem Maria , tenho a certeza que minhas orações chegam ao coração de Jesus.” Tia Nilcelane Orlando Serafim Hercket da Rosa – Grupo São Judas Tadeu- Nova Friburgo.

Anderson

Uma iniciativa iluminada

“A pandemia da Covid-19 acelerou o processo de comunicação em rede de oração e evangelização, de formação e integração das diversas paróquias, através do movimento, facilitando, inclusive, muitas adesões e criações de grupos, de forma virtual nas paróquias, com a autorização dos párocos, com a aprovação e benção do bispo diocesano que criou uma coordenação, com o Anderson à frente e o padre Rodrigo Rimes, da Paróquia de São Jorge das Missões de Rio das Ostras, como Assessor Eclesiástico”: Padre Luiz Cláudio de Azevedo.

Padre Luiz Claudio de Azevedo destaca que o Movimento O Rosário das Crianças, iniciativa iluminada que o Espírito Santo suscitou no trabalho realizado pelo Anderson Faria, hoje coordenador diocesano, se baseia na espiritualidade mariana, na piedosa e popular oração do Rosário levada e ensinada às crianças, da catequese, coroinhas e de outros grupos, envolvendo os pais, os familiares, os catequistas e outros agentes pastorais.

Marcos

Começou com algumas paróquias no Vicariato do Litoral da Diocese, em Macaé, Rio das Ostras, Conceição de Macabu, expandindo-se para outras paróquias e cidades, também em outros vicariatos do norte e da sede, unindo a todos numa grande rede virtual de oração, a partir da liderança e protagonismo das próprias crianças e adolescentes.

“Fui um apoiador e incentivador desde o início, contribuindo como formador do grupo com textos catequéticos e doutrinais, sobre Maria e outros temas da fé cristã católica, no ensinamento do Magistério da Igreja. O Rosário das Crianças é uma grande escola de Maria para as crianças, adolescentes e famílias, integrando as comunidades e levando todos a interceder pelas necessidades da Igreja, pelas mãos de Nossa Mãe Maria, com a formação catequética e moral partilhada, propiciando também uma comunhão pastoral das paróquias, e das famílias como igrejas domésticas e primeira escola das virtudes humanas e cristãs”, destaca padre Luiz Claudio.

Daniel

 

23 abril 2021, 14:48