Busca

Vatican News
Salvadorenhos recordam o aniversário da morte de seu Santo, Dom Óscar Arnulfo Romero Salvadorenhos recordam o aniversário da morte de seu Santo, Dom Óscar Arnulfo Romero  (AFP or licensors)

Dedicada a São Óscar Romero capela do hospital onde foi morto

"É significativo que, juntamente com ele e demais Santos e Santos hodiernos, tenhamos D. Óscar Romero, que deixou as seguranças do mundo, incluindo a própria incolumidade, para consumir a vida – como pede o Evangelho – junto dos pobres e do seu povo, com o coração fascinado por Jesus e pelos irmãos", disse o Papa Francisco na Missa de sua canonização, em 14 de outubro de 2018.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

“Caro Monsenhor: Era segunda-feira, 24 de março de 1980, e o relógio marcava 6h20. Ele celebrava a Santa Missa com sua habitual devoção e ternura, pronunciando estas palavras: “Que este corpo imolado e este sangue sacrificado pelos homens nos alimentem também para dar nosso corpo e nosso sangue ao sofrimento e à dor, como Cristo, não por ele, mas para dar princípios de justiça e paz ao nosso povo ...”, Deus em seu amor infinito chamou-o ao martírio e o seu sangue se uniu, no momento do ofertório, ao sangue de Cristo derramado para a salvação dos homens”.

Assim começa a carta que Dom Rafael Urrutia, pároco da Igreja São Óscar Arnulfo Romero, em San Salvador, escreveu no 41º aniversário do martírio de Santo salvadorenho, celebrado na quarta-feira, 24 de março. O motivo foi por ocasião da mudança do nome da Capela do Hospital Divina Providencia, local onde ocorreu o martírio. Além da causa do arcebispo Romero, Dom Rafael Urrutia é também o postulador diocesano para a causa de beatificação do padre Rutílio Grande.

Em sua mensagem, enviada à Agência Fides, lê-se que “nenhum ser humano compreendeu, naquele momento, o que havia acontecido com ele. Monsenhor Óscar Romero, assassinado aos pés do altar, assim anunciavam nos noticiários das rádios. Ele era o único que sabia em seu coração o que se passava na sua vida, sabia que Deus estava irrompendo na sua história com uma vocação à qual chama poucos dos seus filhos: o martírio”.

Dom Rafael Urrutia acrescenta a seguir, que “hoje a Igreja quis honrar com um novo nome a Capela do Hospital, lugar do seu martírio. Não se chamará mais Capela do Hospital da Divina Providência, mas “Capela Martirial São Óscar Arnuldo Romero, Bispo e Mártir”, embora ainda se encontre no seio do hospital Divina Providencia, local onde decidiu "ir viver com os enfermos, que com seus sofrimentos corporais o fizeram apresentar Jesus Cristo crucificado, em quem se apoiava com suas orações e sacrifícios”.

 “Obrigado, Monsenhor, por ser São Óscar Arnulfo Romero, uma luz que sempre faz resplandecer a luz de Cristo. Um abraço”, conclui sua carta Dom Urrutia.

Agência Fides - CE

25 março 2021, 09:53