Busca

Vatican News

Francisco: peregrino no Iraque junto com Nossa Senhora de Loreto

O Papa Francisco, nesta 33ª viagem internacional, será acompanhado pela imagem da Virgem, Padroeira dos Aviadores. Dom Fabio dal Cin: “o Santo Padre sempre manifestou com grande profundidade e, ao mesmo tempo, com grande simplicidade, a confiança na Mãe de Deus que protege a viagem não de Roma ao Iraque, mas na viagem da vida”.

Benedetta Capelli - Vatican News

Aos seus pés, em 25 de março de 2019, na Santa Casa de Loreto, o Papa Francisco assinou a "Christus vivit", a exortação pós-sinodal dedicada aos jovens. Hoje ele levou a imagem da Virgem no voo para o Iraque. Uma escolha que pode ser ligada a um aniversário particular: em 24 de março de 1920, na véspera da Anunciação do Senhor, o Papa Bento XV emitiu o decreto para proclamar a Nossa Senhora de Loreto, Padroeira dos Aviadores, uma lembrança ao transporte da Casa de Maria pelos anjos de Nazaré, na antiga Illyria, para a colina de Loreto, em 10 de dezembro de 1294. Cem anos após, o Jubileu Lauretano foi proclamado em 8 de dezembro de 2019, e o Papa Francisco o prorrogou até 10 de dezembro de 2021.

O amor dos Papas pela Virgem Lauretana

Uma Virgem, de rosto escuro e que lembra os ícones bizantinos, muito amada pelos Papas como, por exemplo, Pio IX que era natural da região de Marche, na Itália, e devoto à Virgem Lauretana, tanto que doou a sua cruz peitoral e o anel para o Santuário quando que se tornou Pontífice. Loreto também está ligado à primeira viagem de trem, fora do Vaticano, de João XXIII, que confiou o Concílio a Nossa Senhora em 4 de outubro de 1962. João Paulo II também foi a Loreto em 1979, pouco antes de ir para a ONU. Ele voltou outras vezes no curso do seu longo pontificado porque, para ele, Loreto era o "coração mariano do cristianismo".

Em 2007 e 2012, Bento XVI visitou a região de Marche, a última vez por ocasião do aniversário de 50 anos da visita de João XXIII. "Aqui em Loreto”, disse ele, “encontramos uma casa que nos permite ficar, habitar, e que ao mesmo tempo nos faz caminhar, nos lembra que somos todos peregrinos, que devemos estar sempre a caminho de outra casa, em direção à casa definitiva, à Cidade eterna, a morada de Deus com a humanidade redimida".

Uma mensagem de paz e esperança

Na viagem do Papa Francisco ao Iraque, a presença de Nossa Senhora de Loreto é "um convite para olhar além" e para caminhar juntos pela fraternidade: assim dom Fabio Dal Cin, arcebispo delegado pontifício de Loreto:

R. - É uma bela mensagem, é também uma mensagem de esperança porque é a primeira viagem do Santo Padre desde que a pandemia eclodiu. A imagem de Nossa Senhora de Loreto neste ano em que celebramos o Jubileu Lauretano também se torna uma referência significativa porque o Papa que leva consigo a Nossa Senhora de Loreto expressa o que o Santo Padre sempre manifestou com grande profundidade e, ao mesmo tempo, com grande simplicidade, a confiança na Mãe de Deus que protege a viagem não de Roma ao Iraque, mas na viagem da vida. Ela nos ensina a voar alto precisamente porque protege os viajantes, e nisso podemos ver uma mensagem que vem desse gesto: o convite a olhar o céu para ir além dos nossos limites e fronteiras, para caminhar e construir junto com todos os homens de boa vontade aquela Casa Comum que é a família humana. Um gesto de paz e fraternidade que é reforçado pela imagem da Virgem de Loreto que se refere a sua Santa Casa, mantida aqui em Loreto.

A devoção de Francisco pela Nossa Senhora de Loreto foi explicitada de várias maneiras, como ao incluir no calendário romano da festa de Nossa Senhora de Loreto, em 10 de dezembro, mas também com o acréscimo de três invocações à Ladainha de Loreto, uma dedicada aos migrantes. O que significa essa atenção do Papa Francisco à Santa Casa e a Nossa Senhora de Loreto?

R. - O Santuário de Loreto, na sua expressão de vitalidade eclesial, com os devotos e peregrinos, é muito grato ao Santo Padre pelo dom do Jubileu Lauretano e que ele também prorrogou para dar a oportunidade de beneficiar da graça do Jubileu que é a de voar alto na vida. A inclusão das três invocações marca essa nossa época, marcada por uma grande necessidade de nos sentirmos amados pela humanidade que precisa de misericórdia e de esperança. A referência aos migrantes é um sinal da história que estamos vivendo, há todo um continente de povos, de pessoas, de famílias, de pessoas que se movem pela terra em busca de um lar, de trabalho, de serenidade e, essa invocação, nos faz sentir todos atentos à condição dos nossos irmãos. Também nos faz perceber como estamos todos em peregrinação, em caminho, sobretudo, em nossos corações que devem estar abertos e assumir as necessidades e exigências das pessoas que têm o direito de encontrar a paz e a serenidade, a fim de expressar plenamente a sua humanidade. Neste sentido, essas três invocações fotografam as urgências espirituais que afetam as pessoas do nosso tempo.

O lema da viagem ao Iraque é: "Vocês são todos irmãos", tirado do Evangelho de Mateus. Até que ponto Nossa Senhora de Loreto é portadora dessa mensagem, e quanto a sua presença silenciosa pode influenciar a peregrinação do Papa?

R. - Quando soube da iniciativa do Papa de levar com ele a imagem de Nossa Senhora de Loreto, o meu pensamento foi ao Jubileu Lauretano que estamos vivendo, mas também à primeira viagem de Maria quando deixou a sua casa, após o anúncio do anjo, para levar ajuda, conforto e esperança à prima Elizabeth, que precisava dela. Eu gosto de pensar que, como Maria que deixou a sua Santa Casa, e aqui em Loreto está guardada a sua grande relíquia, assim também o Papa deixa a sua casa, o Vaticano, para levar ajuda e conforto a uma população que espera há décadas por esse encontro com o sucessor de Pedro. Penso que esse seja um convite a todos nós para levar a presença de Maria em nossos corações porque é a Nossa Senhora que nos abre o caminho, nos abre as portas para ajudar todos nós em humanidade e fraternidade, que é o objetivo desta visita. É o abraço a todos os povos, os devotos, os peregrinos do Oriente que não podem ir à Santa Casa, e o Papa, levando consigo a imagem de Nossa Senhora de Loreto, leva a Santa Casa que assim consegue abraçar todo o Oriente e, de maneira especial, o povo do Iraque.

05 março 2021, 12:00