Busca

Vatican News
Imagem de Nossa Senhora Rainha com o Menino Jesus em seus braços Imagem de Nossa Senhora Rainha com o Menino Jesus em seus braços  (Copyright by MaxPixel)

Bispos neozelandeses renovarão consagração do país a Nossa Senhora da Assunção

“Maria tem um lugar especial e muito sagrado no coração dos católicos” e “neste tempo de pandemia mundial, decidimos renovar a dedicação de nosso país a ela” - disse Dom Stephen Lowe, bispo de Hamilton e secretário da Conferência Episcopal da Nova Zelândia.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Em de 15 de agosto próximo, todos os bispos se reunirão na Igreja de Santa Maria dos Anjos, símbolo de Wellington, capital da Nova Zelândia, para renovar a consagração da Aotearoa Nova Zelândia a Nossa Senhora da Assunção, realizada por Dom Jean-Baptiste Pompallier, em 1838.

“Maria tem um lugar especial e muito sagrado no coração dos católicos” e “neste tempo de pandemia mundial, decidimos renovar a dedicação de nosso país a ela” - disse Dom Stephen Lowe, bispo de Hamilton e secretário da Conferência Episcopal da Nova Zelândia – também em resposta ao pedido de muitos fiéis em busca de sua proteção durante o lockdown nacional imposto para conter a propagação da pandemia de Covid-19.

A Igreja convidou todas as paróquias do país – lê-se em um comunicado publicado no site do episcopado - a se recolher em oração para esta ocasião, no dia Santo da Assunção, e pediu ao artista da cidade de Christchurch, Damien Walker, um ícone de Maria que será levado em hikoi (peregrinação) a cada uma das seis dioceses do país, a partir de maio, nos três meses que precedem a festividade. O início da peregrinação será em Totara Point, no Hokianga, precisamente no local em que Dom Pompallier celebrou a sua primeira Missa em solo neozelandês, em 13 de janeiro de 1838, e consagrou o país a Maria com o título de Nossa Senhora da Assunção.

O ícone de Nossa Senhora com o Menino Jesus é apresentado "como símbolo de unidade em sua maternidade universal, que une céu e terra em seu filho" - explicou Damien Walker -. Ele foi escolhido entre 17 propostas diferentes e, após o hikoi, ficará exposto na alcova do batismo de Santa Maria dos Anjos, que em breve se tornará Santuário Nacional de Maria.

Walker explicou como Nossa Senhora “reflete a unidade da Igreja, que chega até os confins da Terra, estendendo-se não só pelos oceanos, mas também pelos séculos” e como o seu trabalho, portanto, também quer sublinhar “a unidade dos tangata whenua (Maori) com todos os outros povos que vieram viver ao seu lado" e "chamados a viver a mesma fé e batismo, cada um à sua maneira".

Grande a alegria para a comunidade de Santa Maria dos Anjos- disse o pároco, padre Kevin Mowbray, SM - “honrada e entusiasmada” pelo anúncio da Igreja. “A própria Maria foi uma peregrina que acompanhava o filho em tempos difíceis e perigosos”. “Por isso, é justo pedir-lhe, neste momento da nossa história, com uma nova consagração, que acompanhe a Igreja de Aotearoa Nova Zelândia, pois também ela caminha na fé com o Senhor”.

A igreja de Santa Maria dos Anjos, inaugurada em 1922 e um ponto de referência no centro de Wellington, é servida pela família dos Padres e Irmãos Maristas, a Sociedade de Maria, uma Congregação fundada na França em 1816 sob o patrocínio de Maria .

Vatican News Service - AP

30 março 2021, 13:04