Busca

Vatican News

Japão. Apelo dos bispos: abolição imediata das usinas nucleares

A experiência do terremoto e da pandemia, ressaltam os bispos dez anos após Fukushima, lembram à humanidade suas próprias limitações: "Quando fomos atingidos por aquele acidente sem precedentes, sentimos os limites da sabedoria e do conhecimento humanos, percebemos como somos fracos. Naquela ocasião, imprimimos em nossos corações a importância da ajuda mútua e da solidariedade para proteger a vida. Dez anos após o grande terremoto e tsunami, o mundo certamente precisa repensar em tudo isso"

Vatican News

Ouça a reportagem compartilhe

"Em 2011, após o terremoto e o acidente na usina nuclear de Fukushima, nós, bispos, como crentes que protegem a vida como um presente de Deus, pedimos a abolição imediata das usinas nucleares. Infelizmente, acreditamos que, com o tempo, a situação está se movendo em uma direção diferente. Dez anos após o acidente, renovamos nosso apelo em favor da abolição imediata das usinas nucleares e de uma revisão dos estilos de vida."

É o que declara a Conferência Episcopal Católica do Japão na mensagem divulgada na quinta-feira, 11 de março, por ocasião do décimo aniversário do desastre nuclear de Fukushima, que ocorreu em 11 de março de 2011.

Proteger a vida: tema da visita do Papa ao Japão em 2019

Em sua carta, recebida pela Fides - agência missionária da Congregação para a Evangelização dos Povos -, os bispos recordam o tema da visita feita em 2019 pelo Papa Francisco ao Japão, "Proteger a vida":

“Respondendo ao chamado do Papa, queremos alcançar uma sociedade na qual toda a vida seja protegida sem exceção, sua dignidade seja preservada e ninguém seja esquecido. Agora, com a pandemia do coronavírus, o mundo inteiro se sente chamado a ‘proteger a vida’.”

“O Papa Francisco nos convida a sair ao encontro daqueles que precisam de ajuda, aqueles que estão isolados e enfrentam as crises da vida neste mundo moderno de conflitos e divisões, discriminação e exclusão, isolamento e solidão."

Ajuda mútua e solidariedade para proteger a vida

A experiência do terremoto e da pandemia, ressalta-se na mensagem dos bispos, lembram à humanidade suas próprias limitações:

"Quando fomos atingidos por aquele acidente sem precedentes, sentimos os limites da sabedoria e do conhecimento humanos, percebemos como somos fracos. Naquela ocasião, imprimimos em nossos corações a importância da ajuda mútua e da solidariedade para proteger a vida. Dez anos após o grande terremoto e tsunami, o mundo certamente precisa repensar em tudo isso."

(Fides)

12 março 2021, 14:50