Busca

Vatican News

Ano de São José. Bispos filipinos: evento providencial para a Igreja e o mundo

Os 12 meses comemorativos do especial "Ano de São José" coincidem com o "Ano da Missão" que a Igreja filipina está celebrando para recordar os 500 anos da chegada do cristianismo ao país asiático. Os bispos filipinos da região de Bicol também ressaltam outra providencial coincidência: no dia 19 de março, na festa de São José, tem-se a abertura do Ano da "Família - Amoris Laetitia", por iniciativa do Pontífice para comemorar o quinto aniversário de sua homônima Exortação apostólica sobre a alegria e a beleza do amor na família

Vatican News

Ouça a reportagem e compartilhe

Uma celebração que apresenta uma coincidência "providencial" para a Igreja católica nas Filipinas: com essas palavras, os bispos da região de Bicol, no país asiático, definem numa carta pastoral o especial "Ano de São José", em andamento até 8 de dezembro próximo, convocado pelo Papa Francisco para comemorar o 150º aniversário da declaração do esposo de Maria como Patrono universal da Igreja por Pio IX.

De fato, os 12 meses comemorativos coincidem com o "Ano da Missão" que a Igreja filipina está celebrando para recordar os 500 anos da chegada do cristianismo ao país. O tema do evento é "Doados para dar", que recorda a frase evangélica "De graça recebestes, de graça dai" e que evoca o exemplo do esposo da Virgem. Efetivamente, a ele - explicam os bispos -, foi dado o dom de ser "o pai terreno de Jesus e ele compartilhou este dom com toda a Igreja, através da Sagrada Família".

Festa de S. José, abertura do Ano da "Família - Amoris Laetitia"

Os bispos de Bicol também ressaltam outra providencial coincidência: no dia 19 de março, precisamente na festa de São José, tem-se a abertura do Ano da "Família - Amoris Laetitia", por iniciativa do Pontífice para comemorar o quinto aniversário de sua homônima Exortação apostólica sobre a alegria e a beleza do amor na família.

“Esperamos - escrevem os bispos filipinos - que esta comemoração ajude as famílias a descobrir e experimentar tanto a alegria de ter um dom como de ser um dom para a Igreja e a sociedade, e assim se tornar uma luz na escuridão do mundo.”

Em todas as três celebrações, prossegue a Carta episcopal, "São José brilha como inspiração, figura unificadora e central a quem olhar" especialmente agora, "nestes tempos críticos" provocados pela pandemia, pois cada fiel é chamado a "refletir sobre sua missão individual na Igreja, na família, na sociedade e no mundo em geral".

Papel central da família como Igreja doméstica

Os bispos filipinos da região de Bicol ressaltam, em seguida, "o papel central da família como Igreja doméstica", que surgiu de maneira particular durante o período de isolamento social:

“A família tornou-se um lugar de refúgio em um momento de crise - afirmam -, uma comunidade de fé que nos fortaleceu em momentos de medo causados pela Covid-19.”

E mesmo aqueles que "tiveram a infelicidade de ser colocados em quarentena em outro lugar, longe de casa, perceberam o quanto precisavam estar com seus entes queridos".

Distância pode ser física e social, jamais espiritual

Mas a distância entre os fiéis pode ser física e social, jamais espiritual, evidencia ainda a Igreja filipina, porque a distância "não pode inibir a intimidade espiritual no amor e na fé".

Além do mais, explicam os prelados filipinos, "é assim que somos com Deus que não vemos, mas com quem é possível alcançar uma intimidade profunda, mesmo sem a presença física".

Portanto, "através de nossas relações familiares, nossas amizades, nosso ser todos irmãos, somos capazes de nos conectar e estender nossa mão ao próximo, de modo possível e seguro".

Passagem dos tufões em 2020, "oportunidade de missão"

A Carta pastoral também analisa os numerosos tufões que atingiram o país do sudeste asiático em 2020, incluindo os ciclones "Goni" e "Vamco", que deixaram um rastro de morte e destruição.

Apesar disso, porém, os desastres naturais "não puderam extinguir o espírito e cessar os esforços de todos para estender as mãos uns aos outros em meio à pandemia", pelo contrário: a passagem dos tufões se tornou "uma oportunidade de missão que impeliu muitas pessoas a ajudar os outros".

O Papa Francisco nos convida a recorrer a São José

Exatamente como fez São José que "cumpriu sua missão mesmo em tempos de ameaça e perigo", escapando de Herodes, o Grande. Além disso, o esposo de Maria agiu "em silêncio", conseguindo mesmo assim deixar "um testemunho muito poderoso do que significa ser um discípulo do Senhor".

E agora, num momento histórico "difícil" e "nestes tempos de necessidade e incerteza", em que "a Igreja e o mundo inteiro são oprimidos por uma crise ideológica perniciosa e devastado por doenças e calamidades tanto naturais como provocadas pelo homem", concluem os bispos de Bicol, "o Papa Francisco nos convida a recorrer a São José para ter proteção".

De fato, ele que "tem o coração de um pai", é o guardião e protetor do Redentor e de seu Corpo Místico que é a Igreja.  A região filipina de Bicol inclui a Arquidiocese de Cáceres e as dioceses de Legazpi, Libmanan, Masbate, Virac, Daet e Sorsogon.

Vatican News – IP/RL

18 março 2021, 13:27