Busca

Vatican News
Mulheres no Sudão do Sul Mulheres no Sudão do Sul  (AFP or licensors)

Hospital dos Salesianos no Sudão do Sul: as curas não são mais miragens

"Aqui há muitas vidas esquecidas e problemas que ninguém quer assumir” afirma o padre salesiano Omar Delasa, ao descrever o novo hospital de ginecologia e obstetrícia construído pelos salesianos no Sudão do Sul onde a mortalidade materna é muito elevada

Vatican News

Um hospital especializado em ginecologia e obstetrícia, dedicado às mulheres mais vulneráveis e necessitadas, "que de outra forma não teriam acesso ao atendimento médico". O hospital foi construído pelos Salesianos da missão em Tonj, na diocese de Rumbek, no Sudão do Sul. A estrutura tem duas salas operatórias, várias salas para partos, um laboratório de análises e uma casa com capacidade para receber cerca de quinze voluntários que ajudem a preencher as lacunas no setor da saúde.

Alta mortalidade materna

 Deve ser sublinhado que, de acordo com os últimos dados, no Estado de Warrap onde se localiza a missão de Tonj, no leste do país, a mortalidade materna é bastante elevada (2.000 mortes em 100.000 casos), com mais de 40% das mulheres, que não recebem nenhuma assistência antes, durante e após a gravidez. Há também numerosos nascimentos que ocorrem em casa, sem qualquer ajuda.

Salesianos deram impulso ao projeto

O hospital é dedicado ao padre John Lee Tae-seok, missionário e médico coreano que faleceu em 2010. A construção do Hospital John Lee Memorial foi facilitada pelo Padre Omar Delasa, um médico de origem italiana, de acordo com um relatório da Missão Newswire. O projeto hospitalar, explica o missionário, nasceu em 2006, quando ele foi para o país africano pela primeira vez, quando o Sudão do Sul ainda não era independente. Impressionado pelas condições da população local que "tinha tão pouco", o salesiano imediatamente começou a trabalhar para que o projeto começasse a funcionar.

Aqui "há muitas vidas esquecidas e problemas que ninguém quer assumir", afirma, como "pobreza, guerra, fome, exclusão". Felizmente, diz com alegria o Padre Delasa, "em torno de tal drama existe o maravilhoso mundo dos voluntários" que, além da ajuda material, contribuem para o "treinamento dos profissionais da saúde".

Hoje, no Sudão do Sul, os Salesianos realizam numerosas iniciativas destinadas a garantir a disponibilidade e a gestão sustentável das instalações de água e saneamento no hospital e nos ambientes da missão, bem como a conter os problemas da fome e da educação.

(do jornal L'Osservatore Romano)

 

05 fevereiro 2021, 13:05