Busca

Vatican News
A preparação para a celebração do Mistério Pascal de Cristo: sua paixão, morte e ressurreição A preparação para a celebração do Mistério Pascal de Cristo: sua paixão, morte e ressurreição  (Vatican Media)

A Quaresma e a Campanha da Fraternidade: um caminho de sincera conversão

Na mensagem para este início de Quaresma e de Campanha da Fraternidade Ecumênica, dom Adimir Antonio Mazali, bispo diocesano de Erexim/RS, nos convida à conversão e a novas atitudes, a percorrer "um caminho de sincera conversão e preparação para a Festa da Páscoa, certeza de vida plena para todos em Cristo Ressuscitado, em meio à angústia e insegurança vividas neste tempo da pandemia do coronavírus". Mais do que nunca, continua dom Adimir, "é necessário unir todas as forças e estar comprometido com a promoção da vida ameaçada pela Covid-19 e outros males".

Dom Adimir Antonio Mazali - bispo diocesano de Erexim/RS

Saudamos nossos irmãos e irmãs presentes em toda a nossa Diocese de Erexim/RS, vivendo o tempo da graça de nosso Jubileu de Ouro: “50 anos a serviço da fé e da vida”, dirigindo esta mensagem para a Quaresma. Hoje, Quarta-feira de Cinzas tem início, em toda a Igreja, o tempo quaresmal. Tempo este que nos prepara para a grande celebração do Mistério Pascal de Cristo: sua paixão, morte e ressurreição. Nela se plenifica o projeto salvador de Deus para toda a humanidade, pois enviou seu próprio Filho para que o mundo fosse salvo por Ele.

Este tempo de Quaresma, especial para nossa vida cristã, nos convida à conversão e a atitudes novas. Já nesta abertura, com a imposição das cinzas, ouvimos o convite da liturgia: “convertei-vos e crede no Evangelho”. Conversão significa voltar-se para, ou seja, voltar nosso olhar para Deus com amor filial, nosso olhar a nós mesmos com sinceridade na verdade do que vivemos e para o outro com compaixão e misericórdia.

Sendo assim, as práticas de piedade nos ajudam a entender e viver mais profundamente este tempo quaresmal, de acordo com o Evangelho de hoje:

a)     A Esmola ou Caridade: motivam-nos a olhar para nossos irmãos e irmãs, particularmente os mais necessitados, e sermos solidários em suas necessidades;

b)     A Oração: faz voltar nosso olhar e nosso coração para Deus, renovando nossa confiança em seu amor de Pai misericordioso; por ela aprofundamos nossa intimidade com Ele com a certeza de que sempre nos acompanha a sua presença;

c)      Jejum: Voltados a nós mesmos, somos convidados a viver o desapego, o domínio sobre nós mesmos superando os impulsos humanos que nos afastam da dignidade cristã. Jejuar nos fortalece numa vida espiritual madura, livre e profunda. Também nos faz solidários com os sofredores e com eles compartilhar o que temos.

Caríssimos: neste tempo, a Igreja nos ajuda também a olharmos para o mundo, nossa Casa Comum, como diz o Papa Francisco, no qual estamos inseridos. A Igreja, particularmente no Brasil, nos propõe a Campanha da Fraternidade, que, desde 1964 vem refletindo diversos aspectos de nossa caminhada de fé. Este ano, essa campanha, realizada de forma ecumênica, ou seja, com outras Igrejas Cristãs, nos propõe como tema: “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor” e como lema, inspirado na Carta de São Paulo aos Efésios, 2,14a: “Cristo é a nossa paz: do que era dividido, fez uma unidade”.

O objetivo da campanha deste ano é promover, através do testemunho da unidade e do diálogo, a superação dos conflitos gerados pelas polarizações e violências que marcam nossa realidade. Quer também propor um caminho de diálogo sincero e relações sadias entre as pessoas, unindo suas forças para a busca do bem comum. A convivência fraterna e solidária deve ser um bem e uma experiência profunda de vida em todas as relações humanas, não obstante as diferenças existentes. Mais do que nunca é necessário unir todas as forças e estar comprometido com a promoção da vida ameaçada pela Covid-19 e outros males.

Portanto, que este tempo quaresmal e a Campanha da Fraternidade nos ajudem a percorrermos um caminho de sincera conversão e preparação para a Festa da Páscoa, certeza de vida plena para todos em Cristo Ressuscitado, em meio à angústia e insegurança vividas neste tempo da pandemia do Coronavirus.

São José, padroeiro de nossa Diocese, neste ano a ele dedicado, e Nossa Senhora do Rosário de Fátima, no Jubileu de Ouro de nossa Diocese, intercedam por todos nós. Amém!

17 fevereiro 2021, 12:12