Busca

Vatican News
Celebração na Igreja caldeia de Mar Addai, em Karemlash Celebração na Igreja caldeia de Mar Addai, em Karemlash  (AFP or licensors)

Iraque: comitê recebe dezenas de denúncias de cristãos que tiveram bens expropriados

O fenômeno do sequestro ilegal de casas e terrenos de cristãos no Iraque consolidou-se nos últimos anos também graças à conivência com autoridades corruptas e desonestas, que se colocaram a serviço de impostores individuais e grupos organizados de fraudadores. O roubo “legalizado” de propriedades de famílias cristãs está intimamente ligado ao êxodo em massa de cristãos iraquianos. Muitos golpistas se apropriaram de casas e terrenos que permaneceram sem vigilância, contando com a previsão de que nenhum dos proprietários voltaria para reivindicar a propriedade.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Já são dezenas as denúncias enviadas à Comissão especial criada a partir da contribuição do líder xiita iraquiano Muqtada al Sadr, com a incumbência de coletar e verificar notícias e reclamações de casos de expropriação ilegal de bens imóveis de proprietários cristãos, ocorridas nos últimos anos em diferentes regiões do Iraque.

Atualizando a mídia local sobre o trabalho do Comitê, o vice-presidente da Câmara dos Representantes, membro da coalizão política chefiada por Muqtada al Sadr, Hassan al Kaabi, confirmou que os membros do órgão deram início à verificação in loco das denúncias recebidas, inclusive por meio de inspeções realizadas em várias províncias iraquianas para coletar testemunhos de comunidades locais, o que permite confirmar ou não casos de expropriação ilegal de bens imóveis de proprietários cristãos.

Em declarações divulgadas à mídia, o expoente xiita também confirmou que o trabalho do Comitê terá como objetivo proteger não só os direitos lesados ​​dos "irmãos cristãos", mas também aqueles dos dos "irmãos mandeus", minoria religiosa que havia feito um apelo diretamente a Muqtada al Sadr, para pedir que também eles fossem beneficiados pela iniciativa implementada pelo líder xiita de proteger as comunidades cristãs locais.

 

No início de 2021 foi anunciada a constituição do Comitê para a tutela de terrenos e casas expropriadas ilegitimamente de proprietários cristãos. Naqueles dias, conforme noticiado pela Agência Fides, foram divulgados os nomes dos colaboradores de Muqtada al Sadr escolhidos como membros do Comitê, juntamente com os endereços de e-mail e contas de Whatsapp para os quais os cristãos poderiam começar a enviar os documentos das propriedades de bens imóveis - casas e terrenos - expropriados ilegalmente nos últimos anos por outras pessoas ou grupos de pessoas.

A intenção declarada da operação patrocinada pelo líder xiita é restaurar a justiça, pondo fim às violações que afetam os direitos de propriedade dos "irmãos cristãos", mesmo quando tenham sido cometidas por membros do próprio movimento sadrista por ele dirigida.

O pedido para que fossem denunciados casos de expropriações ilegais sofridas também foi dirigido a famílias de cristãos que deixaram o país nos últimos anos. Os relatos de abusos sofridos por proprietários cristãos fraudados poderão ser enviados ao Comitê até o final do próximo Ramadã.

O fenômeno do sequestro ilegal de lares cristãos pôde se consolidar nos últimos anos também graças à conivência com autoridades corruptas e desonestas, que se colocaram a serviço de impostores individuais e grupos organizados de fraudadores.

O roubo “legalizado” de propriedades de famílias cristãs está intimamente ligado ao êxodo em massa de cristãos iraquianos, após intervenções militares lideradas pelos EUA para derrubar o regime de Saddam Hussein. Muitos golpistas se apropriaram de casas e terrenos que permaneceram sem vigilância, contando com a previsão de que nenhum dos proprietários voltaria para reivindicar a propriedade.

Agência Fides - GV

02 fevereiro 2021, 15:29