Busca

Vatican News
"Por favor, unam-se a mim na oração”, pediu o arcebispo de Westminster "Por favor, unam-se a mim na oração”, pediu o arcebispo de Westminster  (AFP or licensors)

No Reino Unido, a oração do cardeal Nichols pelos mortos de Covid-19

Até a manhã desta quinta-feira, o Reino Unido havia registrado 3.725.713 casos de contágio e 102.085 óbitos.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Um número recorde triste para o Reino Unido que, há dois dias, ultrapassou as 100 mil mortes devido à pandemia de Covid-19. Os dados o tornam o primeiro país da Europa em número de mortes e o quinto no mundo em número total de casos.

As condolências foram expressas pela Conferência Episcopal inglesa, por meio de uma nota assinada por seu presidente, o cardeal Vincent Nichols, arcebispo de Westminster: “Este é um dia de grande tristeza em todo o país - disse o purpurado. Tantas pessoas, famílias, comunidades, choram seus entes queridos que morreram nestes meses terríveis de pandemia. Estamos todos de luto, todos devemos rezar.”

“Nossa oração - acrescentou o cardeal Nichols - está radicada na fé que, com a morte, a vida não acaba, mas se transforma, porque a promessa de vida eterna abre a porta à esperança, mesmo nos momentos mais sombrios”.

“Rezo por todos e por cada um - concluiu o arcebispo - pelos que morreram, por aqueles que choram por sua perda e por aqueles que estão a serviço dos enfermos. Por favor, unam-se a mim na oração”.

Condolências semelhantes foram expressas pelo ministro da Saúde, Matt Hancock, que afirmou estar próximo de "todos aqueles que perderam um ente querido". "Sei como o ano passado foi difícil - acrescentou - mas também sei quão forte é a determinação dos britânicos".

No mesmo sentido, o primeiro-ministro Boris Johnson que, em coletiva de imprensa em Downing Street, recordou o sofrimento de quem não pôde se despedir de seus entes queridos, devido às medidas restritivas para evitar o contágio.

Do primeiro-ministro, por fim, uma promessa: quando o Reino Unido sair da crise de saúde, "nos uniremos como nação para recordar todos aqueles que perdemos e para honrar o heroísmo altruísta daqueles que, na linha de frente, deram a própria vida para salvar a dos outros”.

Vatican News Service - IP

28 janeiro 2021, 13:16