Busca

Vatican News
Protestos contra a grave crise no Haiti, janeiro de 2021 Protestos contra a grave crise no Haiti, janeiro de 2021  (AFP or licensors)

Apelo da Companhia de Jesus no Haiti: “Unidos para salvar o país”

Grande crise no Haiti. Um apelo da Companhia de Jesus em um documento. "O Haiti é um país com grande riqueza natural e começa a formar movimentos para a construção da democracia e do Estado de direito. Atualmente conta com líderes sem coragem e sem capacidade de planejamento. O atual governo governa através de decretos, muitas vezes desafiando a Constituição"

Vatican News

A atual crise que o Haiti está atravessando está minando as bases da sociedade porque as instituições públicas estão em colapso. É a declaração em um documento da Companhia de Jesus, que convida todas as forças religiosas a se unirem no caminho do renascimento do Haiti. No documento pede-se para superar as divisões entre católicos, protestantes, seguidores do voduísmo, na esfera social, para o bem da nação. Exorta também os protagonistas nacionais e internacionais, as forças vivas do país, ativistas sociais e políticos, a diáspora haitiana e "o corajoso povo do Haiti" a se unirem para salvar o país.

Ouça e compartilhe!

É uma crise política

No documento divulgado no portal, os jesuítas destacam em particular o crescimento da insegurança no país por causa da impunidade desfrutada pelos grupos armados. Para os religiosos, a crise do Haiti "é uma crise política porque a classe política está totalmente desacreditada". "Os líderes não demonstram coragem: são preguiçosos, sem criatividade, sem capacidade de planejamento". Assim o Estado está gradualmente perdendo o controle das bases de uma sociedade organizada", lê-se no portal da Companhia de Jesus.

 

Perigo da ditadura

Isto também deixa espaço para a possibilidade de um retorno à ditadura, como a conhecida na época de François Duvalier, porque o atual governo governa através de decretos, muitas vezes desafiando a Constituição". Para os jesuítas, portanto, há também uma crise constitucional e uma crise econômica, com queda na produção, queda do PIB, falta de acesso à educação e aos serviços sociais de uma sociedade moderna e com o consequente êxodo das zonas rurais e o agravamento da pobreza nas cidades.

Desigualdades e carestias

A Companhia de Jesus acredita que as causas desta situação se encontram nas desigualdades sociais, na ausência de políticas públicas para a integração dos cidadãos, na falta de empatia e consciência cívica, no acúmulo de injustiças sociais e no desrespeito a valores fundamentais como a solidariedade, o respeito à vida e ao meio ambiente, a promoção do bem comum e a superação de si mesmo.

Recursos naturais

No entanto, para os jesuítas, tudo isso corre o risco de esconder muitas riquezas que podem ajudar a superar a crise e relançar o país, que entre outras coisas tem um imenso potencial natural e cultural. O Haiti tem um rico subsolo, 1.700 km de costa, numerosos locais históricos e naturais, uma diáspora de mais de 2 milhões de pessoas com muitos recursos e está começando a se formar um movimento de cidadãos esperançosos para a construção da democracia e do Estado de direito.

Vatican News Service - TC

22 janeiro 2021, 12:30