Busca

Vatican News

Igreja indonésia: florescimento de vocações, alegria de ser missionário

Há muitas vocações sacerdotais e religiosas: "Muitos institutos masculinos e femininos construíram seus seminários e casas religiosas. Temos o maior seminário filosófico e teológico da Igreja católica no mundo, dos Missionários Verbitas, com mais de 1.200 estudantes, que o Papa João Paulo II visitou em 1989", frisa o padre Galvani. "A ilha de Flores é considerada entre as mais pobres da Indonésia, mas tem a característica de possuir a maior porcentagem de católicos (70%) das 17.000 ilhas do grande arquipélago indonésio", observa

Vatican News

Ouça e compartilhe

"Num contexto mundial agravado pela pandemia do Coronavírus, não faltam notícias positivas na ilha de Flores, na Indonésia, no sudeste asiático.

De fato, nos próximos meses estão previstas novas ordenações sacerdotais, que se somarão às recentes de 20 missionários Verbiti, 3 do Instituto dos Padres Vocacionistas e 1 Estigmatino", escreve à Fides - a agência missionária da Congregação para a Evangelização dos Povos - o padre Luigi Galvani, missionário Camiliano presente na ilha do arquipélago indonésio há mais de 10 anos.

Maior seminário filosófico e teológico da Igreja católica

Há muitas vocações sacerdotais e religiosas na ilha de Flores: "Muitos institutos masculinos e femininos construíram seus seminários e casas religiosas. Temos o maior seminário filosófico e teológico da Igreja católica no mundo, dos Missionários Verbitas, com mais de mil e duzentos estudantes, que o Papa João Paulo II visitou em 1989", lembra o padre Galvani.

O Camiliano explica que em Flores o Coronavírus tem limitado sua presença até agora, mas, todavia, as dificuldades não faltam: "A ilha de Flores é considerada entre as mais pobres da Indonésia, mas tem a característica de possuir a maior porcentagem de católicos (70%) das 17.000 ilhas do grande arquipélago indonésio", observa.

Nova alegria e esperança a muitos pobres doentes

"A população aqui precisa de tudo, gêneros alimentícios, cuidados com a saúde, além de necessidades básicas. Todos os meses distribuímos pacotes de alimentos a cerca de 200 famílias particularmente carentes."

"Além disso, sempre cuidamos com dedicação da construção de casas especiais para doentes mentais, sobreviventes de anos de marginalização em situações de má higiene e pobreza. Já construímos cerca de cinquenta delas dando nova alegria e esperança a muitos pobres doentes", enfatiza ainda o missionário padre Galvani.

(Fides)

19 janeiro 2021, 14:52