Busca

Vatican News
Há vários meses, a população é flagelada por gangues armadas que semeiam o terror em alguns bairros da capital e agora também em outras cidades. Há vários meses, a população é flagelada por gangues armadas que semeiam o terror em alguns bairros da capital e agora também em outras cidades.  

Religiosa sequestrada no Haiti

Voluntários católicos e Congregações religiosas não sabem mais como distribuir a pouca ajuda disponível aos mais necessitados sem serem atacados, roubados ou chantageados. A Confederação dos Religiosos do Haiti fez vários apelos às autoridades por um mínimo de segurança e coerência na luta contra a corrupção.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Na noite de sexta-feira, 8 de janeiro, uma religiosa das Pequenas Irmãs de Santa Teresa do Menino Jesus foi sequestrada por desconhecidos na residência das irmãs em Brochette 99, município de Carrefour, no distrito de Port-au-Prince.

A Agência Fides recebeu o apelo de Dom Pierre André Dumas, Bispo de Anse-à-Veau / Miragoâne: “Rezamos por ela, por sua Congregação, por sua família, pela Igreja e pelo país. Que esses atos horríveis e desumanos possam ter um fim na terra do Haiti, que foi a primeira no mundo a acabar com a escravidão e o tráfico de pessoas. Rezem para que o Senhor Deus toque a humanidade dos sequestradores e os conduza à compaixão e à empatia!"

O bispo também expressa “nossa comunhão, nossa solidariedade e nossa proximidade espiritual à sua grande Família religiosa e à Conferência dos religiosos haitianos! E, sobretudo, rezemos por sua libertação! Milagres são alcançados dobrando os joelhos! Confiemos em Deus e permaneçamos unidos na oração para que este estado de desgraça e desumanidade acabe o mais breve possível!”

No dia 10 de novembro, havia sido sequestrado na cidade de Delmas o padre Sylvain Ronald, dos Missionários de Scheut (CICM). Ele foi libertado no dia 13 de novembro no centro da capital haitiana.

O Haiti atravessa uma grave crise socioeconômica que em muitos casos leva ao desespero e à total insegurança. Há vários meses, a população é flagelada por gangues armadas que semeiam o terror em alguns bairros da capital e agora também em outras cidades.

Voluntários católicos e Congregações religiosas não sabem mais como distribuir a pouca ajuda disponível aos mais necessitados sem serem atacados, roubados ou chantageados. A Confederação dos Religiosos do Haiti fez vários apelos às autoridades por um mínimo de segurança e coerência na luta contra a corrupção. A esperança continua viva no país graças a tantos religiosos e missionários que continuam a ajudar as pessoas que sofrem na ilha mais pobre da América, mesmo em meio a tantas dificuldades.

Agência Fides - CE

11 janeiro 2021, 08:00