Busca

Vatican News
O Centro São João Paulo II atenderá cerca de cinquenta jovens de 12 a 17 anos com dependências de drogas O Centro São João Paulo II atenderá cerca de cinquenta jovens de 12 a 17 anos com dependências de drogas  (AFP or licensors)

Equador: Centro São João Paulo II atenderá jovens com dependências

A comunidade terapêutica administrada pela Igreja católica recebeu autorização das autoridades de saúde para o atendimento e reabilitação de jovens dependentes de drogas a partir de 5 de janeiro.

Vatican News

O Centro São João Paulo II, em Guayaquil, no Equador, oferecerá atendimento integral a cerca de cinquenta jovens de 12 a 17 anos com dependências de drogas. A instituição obteve a licença da Agência de Garantia de Qualidade em Serviços de Saúde e Medicamentos Pré-pagos (ACESS), em 28 de dezembro passado, como um centro especializado para tratar pessoas com problemas de drogas.

Ouça e compartilhe

Após um processo de quase três anos e com o apoio de doações públicas e privadas, a Comunidade Terapêutica São João Paulo II conseguiu a adequação e o equipamento das instalações do centro terapêutico, como Centro Especializado no Tratamento de Pessoas com Consumo Problemático de Álcool e outras Drogas (CETAD) com 95% dos padrões exigidos.

Diante dessa notícia, o diretor, Dr. Miguel Cardozo, comentou ao departamento de comunicação da Arquidiocese de Guayaquil, que o objetivo é “dar apoio ao grave problema social do uso de drogas”. Cardozo explicou que as estatísticas são esmagadoras, especialmente com os casos de adolescentes que em idade precoce começam a usar drogas facilmente acessíveis nos mercados, bairros e em qualquer lugar, tornando-se “um verdadeiro problema de saúde pública”.

A partir das 9h desta terça-feira, 5 de janeiro, tiveram início as admissões no centro terapêutico São João Paulo II. Os pacientes internados começarão sua reabilitação em 14 de janeiro. Os jovens que entrarem na comunidade terapêutica terão uma entrevista prévia onde sua condição econômica será identificada e serão avaliados nos aspectos médico, psicológico e psiquiátrico. Com base em suas possibilidades econômicas, haverá uma tabela de valores para cobrir as despesas operacionais correspondentes à reabilitação dos pacientes durante o tratamento que durará seis meses. O tratamento também inclui um itinerário especializado como nutrição, terapia ocupacional, fisioterapia, motivação e orientação espiritual.

Por sua vez, o administrador do Centro São João Paulo II, Urano Hurtado, explicou que os pacientes terão acesso a espaços recreativos como ginásio, campo esportivo, auditório, espaço para palestras vivenciais, refeitório, horta, salas com suas respectivas baterias sanitárias e uma capela. Haverá também um espaço para a integração e o treinamento das famílias dos pacientes.

Vatican News Service - ATD

05 janeiro 2021, 13:24