Busca

Vatican News
Migrantes percorrem caminhos perigoso e muitas vezes fatais através das terras altas da Argélia em direção a Marrocos Migrantes percorrem caminhos perigoso e muitas vezes fatais através das terras altas da Argélia em direção a Marrocos  (AFP or licensors)

Coragem de sacerdote marroquino reconhecida com Prêmio para a Paz de Aquisgrana

"Um testemunho de coragem e abnegação". O sacerdote da paróquia na fronteira com a Argélia trabalha na acolhida de migrantes vítimas de traficantes de seres humanos e contrabandistas.

Roberta Barbi - Vatican News

Chama-se Antoine Exelmans, é vigário geral da Arquidiocese de Rabat - Marrocos - e sacerdote diocesano da Paróquia de Oujda, na fronteira com a Argélia. A ele foi destinado o prestigioso reconhecimento que todos os anos, desde 1988, é concedido pela Igreja alemã a pessoas ou grupos que demonstram uma particular coragem civil em seu compromisso com a paz, a justiça e a proteção dos direitos humanos.

Conforme afirmado no site do Episcopado, em nome da Conferência Episcopal da Alemanha, Dom Stefan Hesse, arcebispo de Hamburgo e presidente da Comissão para as Migrações e representante especial para as questões relativas aos refugiados, se congratula com o padre Exelmans, a quem conheceu durante a sua viagem a Marrocos em março de 2020. “Felicito calorosamente o padre Exelmans. Quando o encontrei em Rabat, há alguns meses, no centro de nossa conversa esteve o empenho da pequena Igreja Católica no Marrocos em favor das vítimas do tráfico de seres humanos, especialmente na fronteira argelino-marroquina”.

Em defesa dos migrantes

 

“Fiquei profundamente tocado e impressionado com as palavras deste sacerdote - afirmou o prelado - que me falou sobre o caminho perigoso e muitas vezes fatal que os migrantes percorrem através das terras altas da Argélia em direção a Marrocos. Muitos sofrem de fortes dores físicas e mentais. Na cidade marroquina de Oujda, perto da fronteira com a Argélia, contrabandistas mantêm migrantes presos em pequenas casas. Seus passaportes são tirados e muitas vezes eles permanecem lá sem nenhum cuidado. Na maioria das vezes, ficam indefesos contra gangues criminosas de traficantes”.

O empenho da paróquia de Oujda

 

“Graças ao empenho da paróquia de Oujda e sobretudo do pároco Exelmans, as pessoas estão cada vez mais livres desta situação: ambos correm um grande risco ao oferecer regularmente abrigo e segurança a cerca de 50 pessoas em busca de proteção - explicou - os recém chegados são acolhidos com o coração, tudo é compartilhado com eles. Este compromisso é um testemunho de coragem e abnegação. Agradeço que este grande compromisso tenha sido recompensado com o Prêmio Aachen da Paz”.

Uma cerimônia de premiação em streaming

 

Pela primeira vez, a cerimônia de entrega do Prêmio da Paz de Aachen aconteceu exclusivamente online devido às restrições impostas pela pandemia: o vídeo da cerimônia de premiação está disponível em streaming no site do Prêmio da Paz de Aachen.

11 dezembro 2020, 11:48