Busca

Vatican News
Patriarca Bartolomeu I Patriarca Bartolomeu I 

Bartolomeu I: "La Civiltà Cattolica”, voz sábia, cristã e teológica

Por ocasião do 170º aniversário da histórica revista da Companhia de Jesus, o Patriarca de Constantinopla, Bartolomeu I, escreveu ao seu diretor, Padre Antônio Spadaro: “La Civiltà Cattolica revela, com precisão, a dimensão dos problemas de hoje e os meios para resolvê-los”.

Debora Donnini - Vatican News

“A revista ‘La Civiltà Cattolica’ coloca em realce a contribuição da fé cristã para o mundo da cultura; a importância do diálogo do Cristianismo com a filosofia e as várias correntes ideológicas; com as religiões, a ciência e, mais em geral, com o mundo da política e dos movimentos sociais, com base na tradição e como manifestação da autoconsciência da Igreja Católica Romana e do seu Santíssimo Primaz”. Assim se expressou o Patriarca Ecumênico de Constantinopla, Bartolomeu I, na carta enviada ao Padre Antônio Spadaro, diretor da revista mais antiga em língua italiana, com festeja seus 170 anos. Bartolomeu I expressa palavras de estima e congratulação pela "admirável contribuição do periódico" à Igreja, à sociedade e à cultura, e ao desejo de dar "continuação ao bom testemunho e serviço". O Patriarca afirma também que "La Civiltà Cattolica constitui uma voz cristã e teológica harmoniosa, sábia e clara no mundo, que revela, com impressionante precisão, as dimensões dos grandes problemas da época e os meios para a sua solução”.

Ouça e compartilhe!

Validade e riqueza de pontos de vista

O Patriarca Bartolomeu recorda, de modo particular, "a ação dos sacerdotes Jesuítas no mundo, o conhecimento pessoal das diferentes culturas, o estudo sistemático das religiões, o acompanhamento do progresso científico, a análise e avaliação dos fatos sociais". Esta é a garantia dos artigos do periódico e da “validade e riqueza de pontos de vista”. Para Bartolomeu, o termo "testemunho"-"martyria" resume a longa atividade deste periódico. A sua identidade se distingue pela "síntese criativa da tradição e da atualidade, fidelidade absoluta ao serviço da Igreja de Roma, sensibilidade pelos sinais dos tempos, abertura ao mundo", uma orientação necessária para as necessidades existenciais vitais do ser humano.

A fé se fortalece diante de obstáculos insuperáveis

Bartolomeu explica que “todas estas coisas” estão ao serviço da certeza inabalável “da nossa cidadania no céu”. Com efeito, a fé em Cristo fortalece o homem, “mesmo diante de obstáculos insuperáveis ​​e sem saída”; mas, “quando falta a fé no destino eterno do homem, a vida traz a marca da vaidade".

O amor a Deus e amor ao próximo, são os pilares da vida cristã

O Patriarca afirma, com força, que "a relação indissolúvel e a unidade do amor a Deus e ao próximo, - segundo o Novo Testamento, - representam o ethos supremo, que a humanidade conheceu durante todo o curso da sua história. O amor a Deus e amor ao homem são os dois pilares da existência cristã”. “Desta dupla relação de vida e espiritualidade dos fiéis brota um dinamismo admirável, iniciativas inspiradas, imaginação pastoral, abnegação e disponibilidade para o bem dos outros”.

05 dezembro 2020, 08:16