Busca

Vatican News
Moscovitas sem-teto buscam ajuda no "Rescue Hangar", em Moscou Moscovitas sem-teto buscam ajuda no "Rescue Hangar", em Moscou  (AFP or licensors)

Em 2020, aumentaram pedidos de ajuda à "Misericórdia" da Igreja Ortodoxa Russa

Este serviço de caridade da Igreja Ortodoxa presta assistência a diversas realidades vulneráveis da sociedade russa.

Tiziana Campisi- Vatican News

Os pedidos de assistência social aumentaram na Rússia em 2020. É o que relata o portal da Igreja Ortodoxa Russa, ilustrando com dados coletados pelo serviço "Misericórdia".

"Este ano, a carga de trabalho em projetos do serviço de Misericórdia aumentou em média quase 50% em comparação com 2019, revelou Vladlena Kalashnikova, responsável pelo departamento dos programas de beneficência do serviço Misericórdia da Igreja Ortodoxa. A demanda por assistência social cresceu, o que significa que há mais pessoas necessitadas em Moscou”.

No âmbito da assistência hospitalar, foi assegurado apoio contínuo a 881 doentes, num total de mais 261 pessoas em relação ao ano anterior. No serviço, estão comprometidas algumas religiosas que ajudam pessoas gravemente enfermas.

O número de pedidos de assistência remota também aumentou; foram oferecidas 853 consultas ao longo de 2020. Com a pandemia de Covid-19, os serviços telefônicos foram reorganizados para permitir uma melhor resposta dos voluntários às pessoas necessitadas. A linha telefônica dedicada ao atendimento recebeu 34 mil ligações, 10 mil a mais do que em 2019.

As solicitações de voluntários também cresceram, 4.800, enquanto uma média de 850 pessoas por mês se candidataram para oferecer ajuda em vários serviços da Misericórdia. A principal tarefa dos voluntários era entregar alimentos e remédios às pessoas em isolamento ou quarentena.

Em 2019, cerca de 730 pessoas pediram ajuda todos os meses, principalmente aposentados, pessoas sozinhas, com deficiência, famílias numerosas e famílias monoparentais, pessoas em situações difíceis.

O Centro de Ajuda Humanitária, que presta apoio a mulheres grávidas ou com problemas e famílias carentes, também tomou medidas para entregar roupas, comida para bebês e fraldas. Até o momento, mais de mil famílias foram atendidas.

Por fim, houve mais de 75.000 pedidos de ajuda do Centro para os sem-teto. No ano passado, no Centro, onde é possível se aquecer, se lavar, se alimentar e receber assistência, compareceram pelo menos 100 pessoas todos os dias, cerca de 300, porém, nos meses mais difíceis da pandemia.

No momento, o serviço Misericórdia da Igreja Ortodoxa está realizando 26 projetos para os mais necessitados e a assistência aos pacientes com coronavírus e seus entes queridos também está operacional desde 22 de março.

Vatican News Service - TC

30 dezembro 2020, 14:53