Busca

Vatican News
A campanha “Quarta-feira Vermelha" será lançada no Reino Unido no próximo dia 25 A campanha “Quarta-feira Vermelha" será lançada no Reino Unido no próximo dia 25 

Relatório de AIS sobre os cristãos presos por causa da sua fé

"Em várias partes do mundo, nega-se, injustamente, a liberdade dos cristãos por não quererem renunciar à sua fé. Muitos vivem com medo e sofrem calados”, ressalta a fundação pontifícia.

Vatican News

Será lançada, no próximo dia 25, no Reino Unido, a Campanha intitulada “Quarta-feira Vermelha” da fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), com o objetivo de recordar os cristãos perseguidos no mundo.

Na ocasião, AIS apresentará um “Relatório sobre os Cristãos presos, injustamente, por causa da sua fé - Liberte os seus prisioneiros (Set Your Captives Free)”, centrado nos indivíduos, jovens e idosos, sequestrados por grupos extremistas ou detidos pelo Estado sem imputação.

No site do organismo, lê-se: “Em várias partes do mundo, nega-se, injustamente, a liberdade dos cristãos por não quererem renunciar à sua fé. Muitos vivem com medo e sofrem calados”. Por isso, a iniciativa quer ser a porta-voz destes cristãos, dando-lhes a oportunidade de contar as suas histórias, pedir justiça e clamar por liberdade.

Neste sentido, o Relatório de AIS, o primeiro deste tipo, pede a libertação dos que foram detidos, injustamente, e apela para que os autores de tais prisões sejam entregues à justiça. Estão em andamento também outros projetos de pesquisa da organização AIS, inclusive os relatórios “Liberdade Religiosa no Mundo” e “Perseguidos e Esquecidos?”, sobre os cristãos que sofrem por causa da sua fé.

Em sua Campanha “Quarta-feira Vermelha”, a AIS conseguiu mais de 8.500 assinaturas para pedir ao primeiro-ministro britânico que dê asilo à paquistanesa, Maira Shahbaz, de 14 anos, cuja história está descrita no Relatório, que vive escondida do seu sequestrador, que a ameaçou de morte por ser apóstata.

Por ocasião da “Quarta-feira Vermelha”, no próximo dia 25, muita gente, no mundo inteiro, vai usar roupa vermelha, para recordar o sangue dos que sofrem, são perseguidos ou morrem em defesa da própria cristã; os edifícios públicos serão iluminados com a cor do martírio. Nos países, onde há restrições, por causa do coronavírus, as pessoas são convidadas a viver este evento em suas casas, criando um espaço vermelho, com velas ou outros objetos, e enviando e postando fotos nas redes sociais, que divulgarão a Campanha em todos os lugares.

O lançamento do Relatório de AIS será feito pelo deputado Rehman Chishti e pelo diretor nacional de AIS, Neville Kyrke-Smith, e contará com a participação de Dom Ignatius Ayau Kaigama, arcebispo de Abuja, Nigéria. Todos poderão seguir o acontecimento pelo site: www.acnuk.org/event/redwedx4-digital-event/.

Vatican News Service - AP/MT

21 novembro 2020, 08:00