Busca

Vatican News
São Paulo da Cruz, fundador dos Passionistas São Paulo da Cruz, fundador dos Passionistas 

Jubileu dos Passionistas tem início em 22 de novembro. Missa do cardeal Parolin

O Ano Jubilar será inaugurado às 10h30 locais na Basílica Romana dos Santos João e Paulo, onde se realizará o rito de abertura da Porta Santa. A cerimônia será transmitida no Facebook e no canal YouTube dos Passionistas.

Vatican News

“Renovar a nossa missão: gratidão, profecia e esperança” é o tema escolhido pela Congregação da Paixão de Jesus Cristo, mais conhecida como Passionistas, para  viver um Jubileu especial no terceiro centenário de sua fundação.

Ouça e compartilhe

As celebrações começarão no próximo domingo (22/11). Nessa mesma data, em 1720, São Paulo da Cruz, nascido Paulo Danei, estabeleceu as regras da Congregação. O Ano Jubilar será inaugurado às 10h30 locais na Basílica dos Santos João e Paulo, em Roma, onde se realizará o rito de abertura da Porta Santa, seguido da celebração eucarística presidida pelo Secretário de Estado Vaticano, cardeal Pietro Parolin. A cerimônia será transmitida no Facebook e no canal YouTube dos Passionistas.

“O Jubileu será uma grande oportunidade para aprofundar o nosso compromisso de manter viva a memória da Paixão de Jesus como a maior expressão do amor de Deus por todos os povos e por toda a Criação”, ressalta a Congregação. O Ano especial se concluirá em 1º de janeiro de 2022, em memória da data em que Paulo Danei concluiu seu retiro espiritual de 40 dias para “reunir companheiros com os quais partilhar e anunciar ao mundo o amor do Crucificado”. Devido à pandemia da Covid-19, o programa do jubileu não prevê grandes eventos.

Hoje, os Passionistas estão presentes em 63 países dos cinco continentes. O Jubileu que se preparam para celebrar, “não é a celebração de nossa grandeza ou de nossos sucessos, mas a celebração da bênção de Deus concedida ao longo destes três séculos e a fidelidade de vários Passionistas que, apesar de suas fraquezas e fragilidades humanas, oferecendo suas vidas e sua missão, mantiveram viva a memória da Paixão de Jesus como um ato generoso e concreto do amor de Deus”. O evento pretende “encontrar maneiras novas e atuais de promover essa memória e renovar a nossa missão de proclamar o Evangelho da Paixão”.

Quanto às três palavras escolhidas para o lema do Jubileu, os Passionistas explicam: “A gratidão é para o Deus de amor e compaixão que nos abençoou; a profecia é ler os sinais dos tempos e encontrar novas formas de evangelizar, através das 'lentes' da paixão de Cristo; a esperança é o discernimento dos projetos de Deus e de Suas promessas de um futuro cheio de significado. Que a paixão de Jesus esteja sempre em nossos corações”, conclui a Congregação.

Vatican News Service – IP/MJ

17 novembro 2020, 13:51