Busca

Vatican News
Símbolos entregues aos jovens de Portugal em missa na Basílica de São Pedro, no domingo (22) Símbolos entregues aos jovens de Portugal em missa na Basílica de São Pedro, no domingo (22)  (Vatican Media)

JMJ de Lisboa: a peregrinação da Cruz e Ícone de Maria está prevista para 2021

“Os símbolos chegarão a Lisboa nos próximos dias e ficarão expostos até que seja possível circular, como estava previsto antes da pandemia”, afirma a diretora de Comunicação da JMJ 2023, Ana Catarina André. Durante encontro on-line de 250 delegados internacionais, também foi antecipada a programação prevista para 2021, apresentado o Comitê Organizador e divulgada a Oração Oficial da edição de Lisboa.

Andressa Collet - Vatican News

Ouça a reportagem e compartilhe

Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude, entregues pelos jovens do Panamá a uma delegação de Portugal no domingo (22), ao final de uma celebração eucarística presidida pelo Papa Francisco no Vaticano, ainda não têm data certa para chegar em Lisboa. Uma certeza, porém, é que a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora devem seguir em peregrinação no ano de 2021.

Encontro internacional com delegados

Essa foi uma das atividades anunciadas ao final de um evento on-line que terminou no sábado (21). Durante 4 dias, o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida, do Vaticano, reuniu - em modalidade on-line - 250 responsáveis de Conferências Episcopais e Movimentos Juvenis Internacionais para preparar a JMJ marcada para 2023, em Lisboa. Além da apresentação do Comitê Organizador e divulgação da Oração Oficial desta edição, foi compartilhada uma linha do tempo com as principais atividades já realizadas para esta edição, como o próprio lançamento da logo oficial, e antecipada a programação de ações previstas para 2021, como a peregrinação dos símbolos da JMJ.

No Panamá, por exemplo, a Cruz e o Ícone percorreram as dioceses do país nos meses que antecederam a realização da JMJ, oferecendo a oportunidade de uma transformação social e da promoção de paz e esperança.

No último dia do encontro internacional com os delegados, no sábado (21), o Patriarca de Lisboa, dom Manuel Clemente, confirmou que a JMJ “passa a ter outro ritmo com a entrega dos símbolos”. Ele também recordou, através de uma mensagem em vídeo para o evento, que, “mesmo que nem todos tenham acesso direto aos símbolos até o momento da Jornada”, através da peregrinação, é preciso se lembrar que toda a JMJ se volta ao essencial, ou seja, a “Jesus Cristo e sua Mãe, Nossa Senhora”.

O Papa Francisco, na celebração de entrega dos símbolos no domingo (22), na Basílica de São Pedro, também enalteceu esta fase de preparação para a próxima edição intercontinental da JMJ como “um passo importante na peregrinação que nos levará a Lisboa, em 2023”.

A representação da Cruz e Ícone de Maria

Ana Catarina André, anunciada como diretora de Comunicação da JMJ de Lisboa no encontro on-line com os delegados, também destacou a importância da entrega dos símbolos aos jovens de Portugal:

“É um momento muito significativo para todos essa passagem de testemunho dos jovens do Panamá para os jovens de Lisboa. Estamos há mais de um ano preparando a Jornada Mundial da Juventude, mas ela ganha um outro contorno, mais palpável com esse momento, tão simbólico, tão significativo e tão emocionante até. Pensar que tantos jovens já rezaram junto aos símbolos e que já viveram ali momentos muito determinantes e significativos das suas vidas, é muito tocante para todos nós. Os símbolos chegarão a Lisboa nos próximos dias, ainda não conseguimos precisar a data, e ficarão expostos na sede de Lisboa até que seja possível que possam começar a circular como estava previsto antes da pandemia.”

24 novembro 2020, 09:18