Busca

Vatican News

Covid. Arcebispo de Atenas na UTI: "Partilho a dor e o medo de todos"

“Participo pessoalmente como pastor da provação que diz respeito a milhares de nossos irmãos em nosso país e a milhões no mundo inteiro. Partilho a agonia, a dor e o medo de todos, que com nossa fé em Deus todos saberemos superar”, disse Ieronymos a seus estreitos colaboradores pouco antes de sua hospitalização. O primaz greco-ortodoxo frisou “a obrigação sagrada de todos nós de respeitar as regras e medidas das autoridades sanitárias competentes do Estado para proteger o bem supremo da saúde e da vida humana”

Vatican News

Ouça e compartilhe

O primaz da Igreja greco-ortodoxa e arcebispo de Atenas e de toda a Grécia, Ieronymos, foi internado na manhã de quinta-feira, 19 de novembro, no hospital “Evaggelismos” da capital grega com um diagnóstico de Covid-19 e se encontra em tratamento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), onde está sendo submetido a exames médicos. A notícia foi dada pelo orthodoxtimes.com, um site de informações ortodoxas em língua inglesa.

O arcebispo, de 82 anos de idade, tinha recebido resultado negativo para testes rápidos da Covid-19, aos quais foi submetido no final dos trabalhos do Sínodo Permanente e antes de sua reunião com o primeiro-ministro grego Kyriakos Mitsotakis.

Partícipe da provação, da dor e do medo de todos

Na segunda-feira, 16 de novembro, o arcebispo de Atenas e de toda a Grécia foi submetido a um teste molecular do qual desta vez resultou positivo.

“Participo pessoalmente como pastor da provação que diz respeito a milhares de nossos irmãos em nosso país e a milhões no mundo inteiro. Partilho a agonia, a dor e o medo de todos, que com nossa fé em Deus todos saberemos superar”, disse o primaz da Igreja greco-ortodoxa a seus estreitos colaboradores pouco antes de sua hospitalização.

Respeitar as regras das autoridades sanitárias

 O arcebispo Ieronymos ressaltou “a obrigação sagrada de todos nós de respeitar as regras e medidas adotadas pelas autoridades sanitárias competentes do Estado para proteger o bem supremo da saúde e da vida humana”.

Em 16 de abril de 2016, o arcebispo de Atenas e de toda a Grécia Ieronymos, o Papa Francisco e o patriarca ecumênico de Constantinopla Bartolomeu I se encontraram na ilha grega de Lesbos para expressar “profunda preocupação com a trágica situação dos numerosos refugiados, migrantes e requerentes de asilo”.

(Com Sir)

19 novembro 2020, 15:52