Busca

Vatican News

Líbano. Bispos maronitas iniciam, com retiro espiritual, seu Sínodo anual

Após os dias do retiro espiritual, o Sínodo tratará, a partir da próxima segunda-feira, das questões pastorais, eclesiais e administrativas em pauta, abordando nas áreas de sua competência específica também as emergências sociais, econômicas e políticas que nesta fase histórica pesam dramaticamente sobre toda a nação libanesa, em meio a crises institucionais, pandemias e episódios trágicos, como a explosão que devastou o porto de Beirute em 4 de agosto

Vatican News

Ouça e compartilhe

O Sínodo anual dos Bispos maronitas teve início na quarta-feira, 21 de outubro, marcado pelo silêncio e pela “metanoia”, entendida como conversão pessoal e comunitária. Os bispos maronitas se reuniram na Sé Patriarcal de Bkerké, sob a presidência do Patriarca católico libanês, cardeal Béchara Boutros Raï, para participar da assembleia que a cada ano representa o momento mais importante de partilha e programação sinodal em vista do trabalho pastoral para a Igreja maronita nos próximos 12 meses.

Como já é tradição, os primeiros dias da assembleia, até este sábado, têm o caráter de um retiro espiritual, que este ano adquire uma conotação fortemente penitencial: tratar-se-á - ressaltou o Patriarca Raï em seu discurso de abertura – de colocar a própria consciência como bispos “sob o olhar de Cristo Senhor, Sumo Sacerdote e Bom Pastor, de modo que cada um de nós possa ler sua vida, suas ações e o exercício da autoridade pastoral à luz do exemplo que nos dá a própria pessoa de Jesus Cristo”.

Oração do Terço “pela salvação do Líbano e do mundo”

No dia da abertura, os bispos maronitas rezaram juntos o Terço “pela salvação do Líbano e do mundo”, transmitido ao vivo pela TV Noursat. Uma celebração penitencial está programada para este sábado, com a bênção do crisma como sinal de comunhão entre os bispos.

Com o ato de reconciliação – destacou o cardeal Béchara Raï – todos os bispos poderão pedir o sustento da graça divina para suas vidas e seu ministério pastoral, no reconhecimento de que “com nossos pecados pessoais abusamos não somente de Deus, mas também da Igreja e da comunidade. E quando nos arrependemos de nossos pecados, nos reconciliamos com Deus e com a comunidade”.

Na pauta, questões pastorais, eclesiais e administrativas

A partir da próxima segunda-feira, após os dias do retiro espiritual, o Sínodo tratará das questões pastorais, eclesiais e administrativas em pauta, abordando nas áreas de sua competência específica também as emergências sociais, econômicas e políticas que nesta fase histórica pesam dramaticamente sobre toda a nação libanesa, em meio a crises institucionais, pandemias e episódios trágicos, como a explosão que devastou o porto de Beirute em 4 de agosto passado.

Trata-se de uma situação agravada pela ausência da classe política e dos líderes institucionais, que os bispos maronitas enfrentarão na próxima semana também através do incremento dos serviços de caridade e assistência social já lançados em favor de toda a população do País dos Cedros.

(Fides)

23 outubro 2020, 10:00