Busca

Vatican News
Escola na Índia Escola na Índia 

ÍNDIA: bispos em Kerala fazem greve de fome em prol da educação

Três bispos em Kerala em greve da fome para reivindicar os direitos das instituições educativas cristãs. O objetivo do protesto não foi pedir um "favor especial ao Estado", mas pedir que os "nossos direitos constitucionais sejam tutelados".

Vatican News

Dom Joshua Mar Ignathios, bispo de Mavelikkara, presidente da Comissão Episcopal para a Educação Católica de Kerala, o seu vice-presidente, dom Paul Antony Mullassery, bispo de Kollam, e dom Thomas Tharayil, bispo auxiliar de Changanassery, no dia 20 de outubro, divulgou UCA News, fizeram greve de fome diante da Secretaria de Estado de Kerala para reivindicar os direitos constitucionais das instituições educativas cristãs.

Além dos bispos, dois outros funcionários católicos aderiram à greve para chamar a atenção da opinião pública para a interferência do governo na gestão das instituições educacionais através de intervenções arbitrárias e alterações às leis existentes.

O objetivo do protesto - disse dom Maria Calist Soosa Pakiam, arcebispo de Trivandrum -, não foi pedir um "favor especial ao Estado", mas pedir que "os nossos direitos constitucionais sejam tutelados". As igrejas cristãs dirigem, de fato, cerca de 5 mil escolas das 13 mil do Estado e mais de metade têm direito a financiamento governamentais para pagar os salários de um certo número de professores.

Durante cinco anos, em vez disso, mais de 3 mil professores, em escolas administradas pela Igreja, não foram pagos, acrescentou dom Pakiam, definindo este ato como um "ato de crueldade", especialmente em tempos de pandemia.

O padre Charles Leon, secretário da Comissão Episcopal para a Educação Católica, que abrange todas as 32 dioceses do Estado, relatou, em vez disso, como o governo também tentou interferir na nomeação de professores, procurando "adquirir o direito de nomear 50% do pessoal docente nas escolas dirigidas pela Igreja e em outras escolas administradas por minorias", em violação das disposições constitucionais.

Vatican News Service - AP

 

22 outubro 2020, 14:12