Busca

Vatican News
As missas realizadas em Gorgonzola, na província de Milão As missas realizadas em Gorgonzola, na província de Milão  (ANSA)

Itália: novo decreto contra a Covid não fecha igrejas e nem interrompe missas com fiéis

As mais recentes medidas para conter a segunda onda da Covid-19 na Itália – que fecha academias e piscinas, cinemas e teatros, e obriga restaurantes e bares a ficarem abertos só até às 18h – não afetam as missas com a participação dos fiéis. O novo decreto, comenta o responsável pela Comunicação dos bispos italianos, “deixa inalterado o quanto previsto sobre as celebrações no protocolo de 7 de maio”.

Andressa Collet - Vatican News

Ouça a reportagem e compartilhe

A Europa vem de um final de semana com aumento no número de contágios por coronavírus e países como a Espanha, a França e a própria Itália ampliaram as restrições para conter a propagação do vírus nesta que está sendo considerada a segunda onda da pandemia. No mais recente decreto divulgado pelo primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, deste sábado (24), restaurantes e bares ficam abertos até às 18h; academias e piscinas, cinemas e teatros, ficam fechados pelo menos até o dia 24 de novembro. O país não pretende retomar o lockdown nacional, mas controlar a pandemia até dezembro.

A determinação do governo da Itália que deve ser adotada em nível nacional, porém, não afeta as medidas atuais lançadas pelo protocolo de 7 maio em relação à celebração de missa com a participação dos fiéis. De fato, no novo protocolo de 24 de outubro se lê que “as atividades religiosas com a participação de pessoas se realizam em conformidade com os protocolos assinados pelo governo e pelas respectivas confissões”.

O que diz o protocolo de 7 de maio

O diretor do Departamento Nacional para as Comunicações Sociais da Conferência Episcopal Italiana, Vincenzo Corrado, comenta que “as indicações subsequentes do Comitê Técnico-Científico" continuarão sendo seguidas, por exemplo: “luvas não são obrigatórias para o ministro da Comunhão que deve, entretanto, higienizar cuidadosamente as mãos; celebração da Crisma garantindo o respeito às indicações sanitárias; a mesma atenção se aplica à unção batismal e ao sacramento da unção dos enfermos; reintrodução dos coros e cantores, cujos membros devem manter uma distância interpessoal lateral de pelo menos 1 metro e pelo menos 2 metros entre as possíveis filas do coro e os outros sujeitos presentes".

A nota dos bispos italianos também precisa que, durante a celebração do matrimônio, por exemplo, os noivos não precisam usar a máscara; durante a realização de atividades religiosas, não são obrigados a serem separados uns dos outros: os membros da mesma família ou que vivem na mesma casa; parentes com presença estável; e pessoas, não relacionadas por parentesco, afinidade ou casamento, que habitualmente compartilham os mesmos lugares onde realizam a vida social em comum.

Vatican News Service - DD

26 outubro 2020, 12:51