Busca

Vatican News
Peregrinos acendem velas no Santuário de Lourdes, na França (imagem de 14 de agosto de 2019) Peregrinos acendem velas no Santuário de Lourdes, na França (imagem de 14 de agosto de 2019)  (AFP or licensors)

De 12 a 16 de agosto, a Peregrinação Nacional Francesa ao Santuário de Lourdes

De procissões a concertos: é rica a programação do evento que, devido à pandemia, poderá receber apenas um número limitado de peregrinos. O secretário de Estado do Vaticano presidirá à Celebração Eucarística da Solenidade da Assunção, em 15 de agosto. Padre Nicola Ventriglia, capelão do Santuário, informa que “as piscinas também serão abertas, um sinal do lento retorno à normalidade”.

Federico Piana- Vatican News

Ouça e compartilhe!

Não será nos moldes da clássica Peregrinação Nacional Francesa ao Santuário de Lourdes, agora em sua edição 147. Devido à pandemia, o evento - que tem um título profético: 'Ir à fonte do amor '- prevê a participação de um número restrito de peregrinos, ao contrário das multidões oceânicas dos anos anteriores.

A Conferência Episcopal francesa informou que uma delegação - representando todos os fiéis, os enfermos e os doentes hospitalizados que não podem participar - "terá também a tarefa de prestar assistência às pessoas no local".

Presença do secretário de Estado do Vaticano

 

Embora o vírus tenha limitado o número de participantes, a tradição, no que diz respeito aos eventos, será respeitada: como sempre foi, o programa é repleto de celebrações, haverá a recitação do Santo Rosário, procissões, testemunhos, reflexões sobre as Sagradas Escrituras, mas também sociais e espirituais, vigílias, orações na Gruta de Massabielle e concertos.

No dia da Solenidade da Assunção - 15 de agosto - a Celebração Eucarística será presidida pelo cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado do Vaticano.

Acolhida especial

 

“A peregrinação nacional francesa - recorda o padre Nicola Ventriglia, capelão do Santuário de Lourdes - é organizada pela Congregação dos Assuncionistas. Para aqueles peregrinos que participam, foi preparada uma recepção calorosa, quase especial: eles devem se sentir em casa. Afinal, o Santuário mariano é a casa de Maria e como casa de Maria é a casa de todos nós”.

Não faltarão celebrações internacionais, porque - recorda padre Ventriglia - Lourdes é um Santuário mundial: “Mesmo que a peregrinação seja francesa, há celebrações em várias línguas. Mas não só. A consagração ao coração de Maria também será muito bonita”.

Piscinas reabertas, um sinal de normalidade

 

Durante a peregrinação haverá um sinal importante do lento retorno ao normal: as piscinas estarão abertas. “Porém, ainda não será possível tomar banho - especifica padre Ventriglia-. Mas você pode seguir um roteiro em torno delas que terminará com o gesto da água: com a ajuda da nossa equipe, os peregrinos poderão tomar um pouco de água ou se lavar. Assim como Maria proporcionou a Bernadete uma boa experiência, também nós queremos que os fiéis presentes se sintam bem”.

Presença do cardeal Parolin, motivo de encorajamento

 

No sábado, 15 de agosto, às 10h00, a celebração da Solenidade da Assunção de Maria ao Céu será presidida pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin. “Sua presença - acrescenta Pe. Ventriglia - representa um alento para nós, em um momento tão difícil. Sua presença também nos traz a proximidade do nosso amado Santo Padre”.

13 agosto 2020, 18:27