Busca

Vatican News

Pax Christi com os cristãos da Terra Santa por uma paz justa entre Israel e Palestina

Pax Christi assegura seu apoio à comunidade cristã da Terra Santa: “Usaremos nossa voz para exortar fortemente a comunidade internacional a buscar todos os caminhos da diplomacia para uma paz justa, para reconhecer o Estado da Palestina, como fez o Vaticano em 2015." "Permaneceremos constantes em nossa solidariedade e compromisso de estar em comunhão com todos os cristãos da Terra Santa oferecendo nosso apoio e encorajamento”

Vatican News

Ouça e compartilhe

Numa carta aos cristãos da Terra Santa, Pax Christi Internacional reafirma seu compromisso com uma paz justa e duradoura entre Israel e a Palestina.

O movimento católico evidencia que a comunidade cristã neste momento vive uma dura provação com a emergência do coronavírus, que tem causado consequências econômicas drásticas “reduzindo as oportunidades de trabalho existentes e, desse modo, forçando muitos a depender das ajudas internacionais”, e com a possibilidade de o governo israelense anexar territórios palestinos dentro de suas fronteiras; uma ameaça à sobrevivência dos cristãos.

“Enquanto a população cristã está diminuindo, suas expressões de preocupação e temor pela futura existência da comunidade cristã palestina na Terra Santa deveriam ser nosso alerta. Nós, a comunidade internacional, devemos escutar seu desespero e responder ao seu grito de esperança”, lê-se na missiva.

Cristãos da Terra Santa, “sementes do cristianismo”

Em seguida, Pax Christi define os cristãos da Terra Santa de “as sementes do cristianismo”, parte da “Igreja Mãe”. “É de sua própria existência nesta terra que nossa fé cristã floresceu e se difundiu”, continua o texto da carta.

“Vocês continuam sendo os guardiões de nossa fé e os protetores dos locais que consideramos mais sagrados. Seu testemunho vigilante assegura uma forte presença cristã em toda a Terra Santa.”

Para o Movimento católico internacional pela paz isto é particularmente importante para Jerusalém, “que é, e deve permanecer sempre, uma cidade universal de esperança e paz”, um lugar de “reconciliação, justiça e igualdade” para todos.

Presença e voz dos cristãos na Terra Santa jamais tão cruciais

Além disso, Pax Christi assinala que, embora numericamente uma minoria em Israel e na Palestina, os cristãos “sempre foram um pilar e uma parte integrante da sociedade” e que sua presença e voz na Terra Santa jamais foram tão cruciais.

“Dentro da cacofonia política – evidencia Pax Christi aos cristãos da Terra Santa –, vocês têm um papel fundamental a desempenhar como líderes proféticos. Falar em nome de todos os filhos de Deus e pedir políticas que promovam a dignidade humana e a igualdade de direitos para todos. Buscar a paz, pensando sempre no bem comum.”

Apoio de Pax Christi à comunidade cristã da Terra Santa

Em seguida, o movimento católico acrescenta: “Sua fé e esperança são um grande testemunho para todos nós, um convite poderoso a enfrentar os desafios que afligem nosso mundo com uma determinação clara baseada nos princípios cristãos do amor e da paz”.

Por fim, Pax Christi assegura seu apoio à comunidade cristã da Terra Santa, especificando: “Usaremos nossa voz para exortar fortemente a comunidade internacional a buscar todos os caminhos da diplomacia para uma paz justa, para reconhecer o Estado da Palestina, como fez o Vaticano em 2015, e a impor consequências significativas em caso de violação do direito internacional; permaneceremos constantes em nossa solidariedade e compromisso de estar em comunhão com todos os cristãos da Terra Santa oferecendo nosso apoio e encorajamento; (...) asseguramos nossas orações pedindo a intercessão de Deus para apoiar e reforçar sua coragem e esperança”.

Vatican News Service – TC/RL

14 agosto 2020, 14:20