Busca

Vatican News
Em agosto de 2018, o Papa Francisco recebeu em audiência os participantes do encontro "European Jesuits in formation"       Em agosto de 2018, o Papa Francisco recebeu em audiência os participantes do encontro "European Jesuits in formation"  

A partir de 27 de abril de 2021, nova Província jesuíta da Europa Central

Segundo o sacerdote jesuíta que será o superior da futura Província, as diferenças nacionais se tornaram menos importantes, e em um momento em que os recursos humanos e financeiros se reduziram, é importante unir as forças. A intenção como jesuítas é se distinguir nas áreas da espiritualidade, da educação e social, para dar uma maior contribuição às pessoas e à Igreja.

Vatican News

Ouça e compartilhe!

Um "forte sinal contra o nacionalismo emergente": assim o padre jesuíta Bernhard Bürgler define o agrupamento das quatro Províncias da Áustria, Alemanha, Lituânia-Letônia e Suíça da Companhia de Jesus, que a partir de 27 de abril de 2021, serão reunidas na nova Província da Europa Central.

Com 60 anos, originário do Tirol Oriental e psicoterapeuta de formação, o religioso, que desde 2014 é provincial dos jesuítas da Áustria, será o primeiro superior da futura Província, à qual passarão a fazer parte 442 religiosos inacianos distribuídos em 36 locais.

"Demonstramos que uma visão mais ampla tem suas vantagens e está mais afinada com o ser cristãos", afirma em uma entrevista publicada na segunda-feira, 3, no site da emissora católica alemã "Domradio", de Colônia.

Segundo padre Bürgler, com o passar do tempo, as diferenças nacionais se tornam menos importantes: "Seremos capazes, portanto, de usar as riquezas da espiritualidade inaciana de modo mais fecundo para a fé, a justiça, o diálogo intercultural e a reconciliação", afirma o jesuíta.

Além disso - observa - o carisma da Ordem dos Jesuítas esteve aberto ao mundo desde seu início: "Os primeiros companheiros de nosso fundador Inácio de Loyola eram provenientes de diferentes nações. Inácio nunca pensava a partir de uma perspectiva nacional, mas mundial: quer para as áreas para onde queria enviar as pessoas como para suas proveniências".

O objetivo da fusão é unir as forças em um momento em que os recursos financeiros e humanos são menores, diz padre Bürgler. Seus votos é de que os jesuítas da nova Província possam estar presentes sobretudo nas áreas da espiritualidade, da educação e social: "Se conseguirmos nos distinguir ainda mais nessas áreas, acredito que poderemos dar uma contribuição às pessoas, mas também dentro da Igreja e para a Igreja".

Digno de nota que a criação da nova Província Europeia da Companhia de Jesus segue aquela da Província Euro-Mediterrânea, nascida em 2017 a partir da unificação das três Províncias da Itália, Albânia e Malta, com um total de mais de 500 jesuítas.

Vatican News Service - LZ

04 agosto 2020, 11:59